Sem gritar! 5 dicas de como lidar com o mau comportamento do seu filho

A gente sabe que é bem difícil não perder a calma e sair aos berros com a criança para que ela se comporte bem. Mas calma, separamos algumas dicas para te ajudar lidar com essa situação

Resumo da Notícia

  • Naqueles momentos em que seu filho te deixa maluca, você pode sentir que ele está sempre se comportando mal
  • Inspire. Expire. Repita. Às vezes, tudo o que você precisa é de um momento para se acalmar
  • Ao invés de perder o controle e gritar com ele, você deve encontrar maneiras de estabelecer os limites necessários

“Estou achando muito difícil lidar com o comportamento do meu filho de 5 anos. Ele está constantemente pulando da mobília, fazendo bagunça enorme e nunca quer limpar nada. Ele se esquece de fazer as menores tarefas – ultimamente é até ir ao banheiro ou escovar os dentes. Como posso lidar melhor com esses problemas sem fazê-lo sentir como se estivéssemos gritando com ele?”. Essa foi uma pergunta de mãe que chegou à Parents, revista americana.

-Publicidade-
Saiba como lidar com o mau comportamento do seu filho (Foto: Getty Images)

Calma! Sabemos que pode ser difícil, mas você não pode gritar. De acordo com a Emily Edlynn, é autora do blog ‘The Art and Science of Momque’, os pais na vida real soltarão alguns gritos e os filhos ficarão bem — mas isso não deve se tornar algo constante. Você não vai se sentir melhor com isso e, claro, seu filho também não. Na verdade, o aumento da gritaria e mais problemas de comportamento podem estar agravando o outro, e é um bom momento para parar, respirar e reiniciar. Aqui estão dicas sobre como lidar com essa situação.

Entenda o comportamento

O comportamento é a camada externa do que está acontecendo emocionalmente com as crianças e, quanto mais jovens, mais verdadeiro isso é, pois estão desenvolvendo suas habilidades para expressar emoções de forma mais adequada. Isso nos deixa com o trabalho de detetive, já que temos que nos concentrar no que aquele comportamento quer nos dizer. Resolver isso, vai ser muito melhor do que gritar constantemente e nada melhorar (e talvez até piorar).

Mesmo que pareça que o mau comportamento não tenha motivo, devemos fazer perguntas e observar. Se ele tem uma irmã mais nova, muitas mudanças de desenvolvimento podem fazer com que ele sinta que ela está chamando sua atenção. Pular na mobília provavelmente é pela energia extra que não pode ter outras mineiras de extravasar devido as restrições de isolamento social. A maioria das crianças não ficam muito animadas para limpar “grandes bagunças”, mas talvez o próprio fato de serem enormes faça com que isso pareça especialmente desestimulante para elas nessa idade.

Mas além disso, podem haver outros fatores que não estejam tão evidentes. Mesmo que não tenha certeza de quais são os motivos, você tem um bom instinto que pode ajudá-la a descobrir. Não podemos esperar que uma criança de 5 anos explique o motivo do mau comportamento, ela está na fase de entender os sentimentos e devemos ajudá-las.

Faça uma autoavaliação

Como você está? A ideia de “analisar como você reage as coisas” é óbvia, e você provavelmente já teria feito isso se fosse tão simples e fácil resolver o comportamento do seu filho. A dica é refletir sobre como você está realmente se sentindo. Como está o seu nível de estresse, incluindo e não incluindo a parentalidade? O que mais em sua vida está puxando sua paciência e desgastando sua energia?

De acordo com muitas análises, as mulheres estão arcando especialmente com o peso das responsabilidades durante o isolamento, na maioria das vezes por assumirem mais as demandas no home office (aumentando as horas de trabalho). Talvez você tenha perdido outros apoios parentais que estava acostumada a ter, e isso acumulou ao longo da quarentena e aumentou seu estresse geral sem perceber.

De modo bem claro: você não é culpada pelos comportamentos difíceis do seu filho! Mas suas reservas de paciência e energia afetam como você reage e responde aos comportamentos dele. Parece que por qualquer motivo (e existem várias possibilidades compreensíveis), você se encontrou mais em uma postura reativa do que em uma postura responsiva ou proativa. Isso provavelmente deixa você se sentindo fora de controle, o que torna ainda pior quando ele está fora de controle.

Assuma o controle

Como é óbvio que seu filho de 5 anos não vai perceber o tipo de comportamento que está tendo e simplesmente mudar, e que o seu estresse e bem-estar são fatores críticos para mudar o padrão atual, vem aí o grande questionamento: como recuperar o controle dessa situação? Você sabe que gritar não está funcionando e que está fazendo com que todos se sintam piores, então você deve parar cada vez mais com isso.

No momento certo

De imediato, localize seus gatilhos, como por exemplo quando seu filho tenta machucar sua filha. Você sabe que, nesses momentos de ativação emocional, você precisa respirar fundo e fazer um esforço extra para usar uma voz calma e firme para intervir. Manter a calma não apenas ajuda a situação a não piorar, como também ajuda você a se sentir mais no controle. Sua projeção de calma e controle ajuda seus filhos a se sentirem mais controlados também. Use esta intervenção de “respiração profunda, voz calma”  em um momento estressante de cada vez, assim você vai construir sua confiança de que você realmente pode gritar menos.

Tenha uma visão geral da situação

Vendo a situação de uma visão geral, pode parecer um sinal de alerta para priorizar ativamente prestar atenção e gerenciar o seu próprio estresse. A vida com a pandemia aumentou nosso estresse e tirou nossos apoios em uma combinação que pode explicar por que muitos de nós nos sentimos tão fora de controle agora. Você tem dois filhos pequenos com muita energia e necessidades infinitas e precisa cuidar de si mesmo para poder cuidar deles.

Então, descubra o que te acalma e relaxa (banhos quentes, momento da leitura, uma longa caminhada) e coloque isso em sua lista de tarefas pelo menos duas vezes na semana. Elabore um plano de como você se colocará em primeiro lugar por um determinado período de tempo, todos os dias. E então faça. Se você tiver uma voz interna (ou externa) de culpada, lembre-se (ou ao seu parceiro) de que é para o bem de seus filhos.

Não há nada de simples no comportamento de uma criança de 5 anos, especialmente neste momento em que existem tantos motivos possíveis para uma criança fazer birra. Você é uma âncora para seus filhos e, se não estiver em uma base sólida, eles também não terão. Quanto mais firme estiver para cuidar de você e do seu estresse, mais calmo poderá reagir às tempestades de comportamento ao seu redor. E todos se sentirão melhor com isso; e o mais importante, você também.

Tradução feita por Camila Montino, filha de Erinaide e José, estagiária na Pais&Filhos e estudante de jornalismo na Universidade São Judas Tadeu.