Criança

Seu filho está sofrendo com vômito? A gente te ajuda a cuidar disso

Veja as principais causas e aprenda o tratamento correto

Logo-Parents (1)
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

vomito

Foto: Istock

É sempre uma preocupação quando o seu filho fica doente, não é mesmo? É sempre um corre corre pra levar em médico, ver se ele tem alguma coisa séria ou não. Apesar de ser algo relativamente comum entre bebês e crianças, o vômito é um assunto sério e precisamos prestar atenção nele. Você sabe o que pode causar vômito e como cuidar dele? Nessa matéria falamos tudo o que você precisa saber.

O que causa o vômito? 

O vômito acontece quando o conteúdo do estômago é regurgitado rapidamente ou com força pela boca, através de uma contração súbita dos músculos estômago.

Para crianças pequenas, regurgitar durante e entre refeições é normal, mas se o seu filho está regurgitando muitas vezes por dia, ele pode não estar ganhando peso o suficiente. Se você suspeita que a sua criança está passando por isso com frequência ou sente dor durante o processo, consulte um médico. O vômito pode levar à uma Esofagite de Refluxo, uma condição em que o ácido do estômago irrita o esôfago (o tubo que conecta a boca com o estômago) e requer tratamento médico. Outra causa grave de vômitos na infância é a Estenose Pilórica, que faz bebês com menos de dois meses de idade vomitarem com força. Isso é causado por um bloqueio ou estreitamento na abertura entre o estômago e o intestino. Sem o tratamento, o bloqueio pode levar à uma grave desidratação e perda de peso, o que é um estado muito sério de emergência. Se você suspeita que seu filho possui Estenose Pilórica, entre em contato com seu médico imediatamente, pois o tratamento geralmente envolve cirurgia.

Crianças que começaram a vomitar de repente geralmente têm gastroenterite, uma infeção do estômago e intestino por um vírus ou bactéria. Infecções virais costumam ser mais leves e podem estar associadas à sintomas respiratórios (dor de garganta, congestão nasal ou dor de ouvido) mas infeções bacterianas geralmente são mais severas e podem resultar em diarreias que contêm sangue. (Diarreias que acontecem durante ou depois de viagens para outros países podem ser causadas por bactérias). Além da diarreia, crianças com gastroenterite também podem ter febre. A maioria dos casos não exige um tratamento específico e a criança tende a melhorar depois de alguns dias.

Outras causas de vômito incluem:

Indisposições durante viagens (uma causa comum em crianças);
Infecções nos pulmões, ouvidos, trato urinário, estômago e intestino;
Apendicite (o que pode causar dores de estômago e febre);
Ingestão de substâncias venenosas;
Lesões na cabeça (indicam uma concussão ou hemorragia cerebral);
Enxaquecas (comumente em crianças mais velhas);
Tumor cerebral (em casos raros) ou outros problemas no cérebro.

Tratamentos 

Tenha certeza de que seu filho está se bebendo líquidos o suficiente, especialmente se ele está com diarreia. Isso é essencial para prevenir a desidratação e para repor os líquidos, sais e calorias que ele perdeu quando vomitou. Comece a hidratar seu filho mesmo se ele estiver com náuseas. Se ele acabou de vomitar, espere de 30 a 60 minutos antes de dar água e então comece com pequenas quantidades.

Evite dar comida sólida pelas primeiras 24 horas depois que os vômitos começarem. Em vez disso, dê líquidos em doses pequenas e frequentes (a cada cinco minutos) com uma colher ou garrafa. Você também pode fazer com que seu filho chupe cubos de gelo ou uma toalha molhada e fria. Crianças mais velhas podem usar canudos. Se o seu filho mantiver o nível de hidratação baixo, gradualmente aumente a quantidade de líquidos.

Crianças que estão sendo amamentadas devem continuar recebendo leite materno, mas ela deve ser alimentada com mais frequência que o normal (a cada uma ou duas horas) e em menores doses (5 a 10 minutos de cada vez). A mãe pode também dar o leite por colher, copo ou garrafa. Crianças mais novas que estavam sendo medicadas podem continuar recebendo a dose comum.

Crianças mais velhas podem beber água junto com os soros de reidratação. Crianças com diarreia devem evitar sucos de frutas e refrigerantes porque eles contêm altas doses de açúcar que podem piorar a diarreia. Se o seu filho está vomitando mas não tem diarreia, ele pode tentar tomar pequenos goles de suco de frutas claras ou água.

Se o seu filho consegue tomar água sem vomitar depois das primeira oito horas, gradualmente dê para ele comidas sólidas. Para as mais novas, comece com comidas mais leves, como maçãs e bananas amassadas. Crianças acima de um ano podem receber bolachas, torradas, sopas e purê de batatas.

Se preocupe quando:

Mostrar sinais de desidratação como apatia, letargia, lábios ou boca seca ou falta de urina (de 4 a 6 horas para bebês e mais de 6 horas em crianças mais velhas). Fique atento com crianças mais novas, especialmente bebês com menos de seis meses de vida, elas ficarão desidratadas mais rapidamente. Crianças com menos de um ano desidratadas apresentam a moleira afundada (a parte macia no topo da cabeça).

Tem menos de um mês de idade e vomita depois de toda tentativa de ser alimentado. Vômito frequente e forte em um bebê com menos de 3 meses pode ser sinal de Estenose Pilórica.

Está vomitando e tem fortes dores no estômago ou está reclamando de dores de cabeça. Seu filho pode ter meningite se ele tiver febre e vômito, especialmente se ele não tem diarreia. Outro sinal perigoso e meningite inclui torcicolo e erupções na pele.

Está vomitando depois de machucar a cabeça. Isso pode indicar que o seu filho possui uma concussão ou uma hemorragia cerebral.

Vomitar sangue ou uma substância que se parece com grãos de café, o que é um sinal de que há sangue no estômago.

Vomitar substâncias verdes (bile colorida) e ter dores abdominais severas. Seu filho pode ter um bloqueio no intestino.

Tem o abdômen que oscila entre rígido e flácido entre episódios de vômito.

Apresentar uma mudança dramática em seu humor; ou seja, se aparenta cansaço extremo ou fora disso. Pode ser um sinal de uma infecção no cérebro ou na medula espinhal.

Leia também:

7 remédios naturais aprovados pelos médicos! Veja a lista

Gripe e resfriado: aprenda a diferenciar

Conheça as 12 doenças mais comuns no primeiro ano de vida do seu filho

 

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não