Sono em dia! Entenda por que é fundamental para a saúde do seu filho ter esse descanso

Manter o sono em dia, além de reduzir o risco de obesidade, também aumenta a aprendizagem da criança. Separamos sete motivos para provar que dormir é bom demais

Resumo da Notícia

  • Sono em dia é fundamental para a saúde do seu filho
  • Além de reduzir o risco de obesidade, também aumenta a aprendizagem da criança
  • Separamos sete motivos para provar que dormir é bom demais
O sono do bebê é diferente do nosso (Foto: GettyImage)

Levar seu filho para a cama mais cedo tem mais benefícios do que apenas algumas horas para fazer alguma outra coisa. Uma nova pesquisa explica como o sono pode ajudar as crianças a combater a obesidade, evitar resfriados e ter sucesso na escola. Quando elas conseguem dormir o tempo que precisam, podem ter um risco menor de ficarem com sobrepeso e desenvolver diabetes, bem como menos problemas de aprendizado e atenção. Para se ter ideia, o sono é tão importante quanto a nutrição e o exercício. É nesse momento de descanso que o corpo renova os neurotransmissores, substâncias químicas que permitem que as células cerebrais se comuniquem. E especialistas recentemente demonstraram que o sono permite que essas células “retirem o lixo” a cada noite, eliminando as toxinas causadoras de doenças.

-Publicidade-

Talvez a notícia mais surpreendente desta pesquisa seja a rapidez com que as crianças caem na zona de perigo. As alterações causadas pela falta de sono ficam visíveis depois de apenas quatro noites de uma hora a menos de sono em cada uma delas, segundo um estudo da Universidade de Dalhousie, na Escócia. Separamos algumas das vantagens do sono para fazer com que você perceba a importância dele:

  1. PROMOVE O CRESCIMENTO: Você provavelmente já teve manhãs em que jurou que seu bebê ficou maior durante a noite – a notícia é que você estava certa. “O hormônio do crescimento é produzido principalmente durante o sono profundo”, explica Judith Owens, diretora de medicina do sono no Children’s National Medical Center, em Washington, D.C., e consultora da Parents.
  2. AJUDA O CORAÇÃO: Os especialistas estão aprendendo mais sobre como o sono protege as crianças de danos vasculares devido aos hormônios do estresse circulantes e ao colesterol prejudicial à parede arterial. “Crianças com distúrbios do sono têm excesso de excitação cerebral enquanto dormem, o que pode desencadear a resposta de luta ou fuga centena de vezes a cada noite”, diz Jeff rey Durmer, MD, especialista em sono e pesquisador em Atlanta.
  3. AFETA O PESO: Há cada vez mais evidências de que dormir pouco faz com que as crianças fiquem acima
    do peso, começando na infância. Um estudo do Hospital Infantil da Penn State, na Pensilvânia, mostrou que quando os pais são orientados sobre a diferença entre fome e outros problemas, começam a acalmar os bebês sem alimentação – usando técnicas como panos e balanços – os bebês têm mais chances de dormir e é menos provável que tenham excesso de peso. Melhor ainda? Este treinamento pode começar quando eles tiverem apenas duas semanas de vida. O estudo acompanhou os recém-nascidos durante um ano inteiro e descobriu que quando os pais usavam essas técnicas, isso compensava. Isso é fundamental, porque a conexão do peso com o sono parece virar uma bola de neve. Quando comemos o suficiente para ficarmos satisfeitos, nossas células adiposas criam o hormônio leptina, que nos faz parar de comer. A privação do sono pode afetar esse hormônio, fazendo com que as crianças continuem comendo.
  4. AJUDA A VENCER OS GERMES: Durante o sono, as crianças (e adultos) também produzem proteínas conhecidas como citocinas, que o corpo utiliza para combater infecções, doenças e estresse. O estudo constatou que adultos que dormem menos de sete horas por noite têm quase três vezes mais chances de desenvolver um resfriado quando expostos a esse vírus do que aqueles que dormem oito ou mais horas.
  5. REDUZ O RISCO DE LESÕES: As crianças são mais desajeitadas e mais impulsivas quando não dormem o sufi ciente, o que as deixa vulneráveis para acidentes. Um estudo sobre crianças chinesas descobriu que aquelas que
    dormiam pouco tinham muito mais probabilidade de ter lesões que exigiam atenção médica. E 91% das crianças que tiveram dois ou mais ferimentos em um período de 12 meses, tiveram menos de nove horas de sono por noite.
  6. AUMENTA O TEMPO DE ATENÇÃO: As crianças que dormem menos de dez horas por noite antes dos três anos têm três vezes mais chances de ter problemas de hiperatividade e impulsividade aos seis anos de idade. Ninguém sabe quantas crianças são diagnosticadas erroneamente com a doença, mas descartar problemas de sono é uma parte importante do diagnóstico. Para a idade escolar, a pesquisa mostrou que adicionar apenas 27 minutos de sono extra por noite torna mais fácil para eles controlar seus humores e impulsos para que possam se concentrar nos trabalhos escolares.
  7. AUMENTA A APRENDIZAGEM: Um bebê pode parecer tranquilo quando está dormindo, mas seu cérebro está ocupado durante a noite toda. Pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Columbia, em Nova York, mostraram que os recém-nascidos realmente aprendem durante o sono: os estudiosos tocavam certos sons para eles quando estavam dormindo, seguido por uma leve baforada de ar nas pálpebras de cada um. Em 20 minutos, os bebês adormecidos já haviam aprendido a antecipar o sopro de ar, apertando os olhos. E sabe aquela agitação que todos os bebês têm enquanto dormem? Então, segundo o estudo, parece ser como se o sistema nervoso deles testasse a conexão entre o cérebro e os músculos. E não pense que isso acontece apenas nos primeiros meses de vida. O sono ajuda a aprendizagem em crianças de todas as idades e os especialistas em educação estão descobrindo que os cochilos têm uma magia particular. Neurocientistas da Universidade de Massachusetts Amherst ensinaram a um grupo de 40 crianças pré-escolares um jogo semelhante ao da memória. Dando sequência ao experimento, em uma semana elas tiraram uma soneca durante o dia, e em outra semana ficaram acordadas. O resultado mostrou que no período em que elas tiraram um cochilo, lembravam-se de tudo, enquanto que quando ficaram acordadas esqueceram 15% do que tinham aprendido.
(Foto: iStock)

Como fazer seu filho dormir

-Publicidade-

Certificar-se de que as famílias durmam o suficiente não é fácil, especialmente com os pais trabalhando mais horas,
com a presença de mais atividades extraescolares, quartos cheios de eletrônicos legais e a pressão para fazer mais coisas todos os dias. Mas a boa notícia é que desde o início há muito que você pode fazer para ajudar seus filhos a crescer amando a hora de dormir.

*Incentive o autocontrole: tente não deixar seu bebê dormir enquanto come e coloque-o na cama quando ele ainda estiver acordado. Aos três meses, você deve diminuir o tempo de resposta quando ele acordar chorando à noite – ou seja, demorar um pouco mais para “acudi-lo”. Aos seis meses, quando a maioria dos bebês normalmente dorme a noite toda, considere desistir da babá eletrônica se o seu quarto não estiver muito longe. Ou, pelo menos diminua o volume. Assim, você ficará menos tentada a correr para o seu fi lho e ele estará mais propenso a voltar a dormir sozinho.

*Crie uma rotina: as crianças devem ter um ritual da hora de dormir consistente por três meses, que não dure mais que 30 a 40 minutos, incluindo o banho. Para até 10 anos, certifique-se de que a hora de dormir é antes das 21h. Além disso, é legal ter e manter sons habituais da hora de dormir, como ondas do mar gravadas ou um ventilador funcionando, ou ter objetos favoritos do tempo de sono, como um cobertor ou travesseiro especial.

*Prepare a cama: tente manter a mesma temperatura e nível de luz no quarto do seu filho, mesmo quando ele estiver de férias. Também deixe os aparelhos eletrônicos de lado: a pesquisa mostrou que apenas duas horas de tempo de tela antes de dormir são sufi cientes para baixar os níveis de melatonina – um hormônio que é produzido naturalmente à noite e indica ao nosso corpo sinais de sono.

*História para dormir: você já sabe que ler para crianças ajuda-as a aprender, mas ouvir histórias é uma ótima maneira delas irem para a terra dos sonhos. “De todas as atividades, a leitura de livros parece ser a mais relaxante”, diz Michael Gradisar, psicólogo clínico da Universidade Flinders, em Adelaide, Austrália.

-Publicidade-