Criança

Ter amizade de infância colabora para um adulto mais feliz

E o papel dos pais é importante neste processo

Ana Beatriz Alves

Ana Beatriz Alves ,Filha de Maria de Fátima

melhor-amigo

Um estudo realizado com 169 adolescentes de diferentes etnias e status socioeconômicos, mostra que aqueles que mantiveram contato com os amigos de infância, demonstravam menos ansiedade, autoestima mais elevada e menor predisposição à depressão.

Lívia Marques, psicóloga organizacional e clínica, filha de Orlando e Cleuzeli, explica que é na infância que começamos a desenvolver habilidades sociais e emocionais. “E os amigos ajudam a formar os valores e o caráter.”

Olha quanta coisa um amigo pode fazer por você e pelo seu filho! Amizade contribui para as crianças e adultos serem mais altruístas, sociais, respeitosos, terem empatia, autonomia e, assim, diminuir o comportamento negativo.

“É na infância que fazemos mais amigos e não temos tantos julgamentos”, Lívia complementa falando que na idade adulta, como julgamos mais, vamos perdendo a capacidade de criar essas habilidades. Na hora que o seu filho está brincando com outras crianças, todas elas estão aprendendo a terem e serem amigas uma das outras. Também aprendem a lidar com as emoções, o que contribui para serem menos agressivas.

É como ter uma rede de apoio. Além de amadurecer e desenvolver as habilidades sociais e emocionais, amizades bem consolidadas podem durar a vida inteira. Lívia instrui que você precisa permitir que seu filho as cultive, “que receba as pessoas, que fique livre para conhecer as crianças (com uma certa vigilância sua, claro) e a criança vai aprendendo a se virar e a cultivar essas amizades”.

Leia também:

A importância da amizade no desempenho escolar 

Aumente o som: uma música sobre o que a amizade deve ser 

Fotos eternizam amizade entre menina e seu cão no fim da vida 

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não