Tiago Leifert e Daiana Garbin explicam porque não choram na frente da filha diagnosticada com câncer raro

“Na frente da Lua é alegria, a criança sente tudo”, explicou-se ainda Daiana, em conversa com o Fantástico no último domingo, 30 de janeiro.

Resumo da Notícia

  • Tiago Leifert e Daiana Garbin admitem que evitam chorar na frente da filha diagnosticada com câncer raro
  • "Na frente da Lua é alegria, a criança sente tudo", explicou-se ainda Daiana, em conversa com o Fantástico no último domingo, 30 de janeiro
  • No último fim de semana, Daiana e Tiago revelaram que Lua está com um tipo de câncer raro nos olhos

Tiago Leifert e Daiana Garbin conversaram com a equipe do Fantástico sobre o diagnóstico de Lua. Neste fim de semana, o casal contou aos fãs que a filha havia sido diagnosticada com retinoblastia – um câncer raro nos olhos que atinge crianças de até 1 ano de idade.

-Publicidade-

Em entrevista, o apresentador admitiu que evita chorar na frente de Lua – que é sempre muito alegre – porque não quer que a filha sinta a dor dele e de Daiana. “A gente está firme, combinou de nunca chorar na frente da Lua”, admitiu. “Na frente da Lua é alegria, a criança sente tudo. Então, a gente decidiu que chora escondido no banheiro. A gente chora junto, mas para a Lua, não. A gente precisa ficar forte para que ela fique também”, completou ainda Daiana.

A mãe de primeira viagem ainda completa: “O fato dela não saber o que está acontecendo… Ela não deixa a gente ficar triste porque ela está sempre tão alegre, tão disposta, que eu falo: ‘Minha filha, você me dá força para seguir, para conseguir aceitar toda dificuldade”.

Tiago e Daiana conversaram com o Fantástico sobre o diagnóstico da filha
Tiago e Daiana conversaram com o Fantástico sobre o diagnóstico da filha (Foto: Reprodução/ Globo)

Daiana e Tiago ainda falaram que acreditam muito na cura e no tratamento da filha – que poderá ser um pouco mais tranquilo por conta do diagnóstico, que foi feito em um estágio não tão avançado da doença.

“Eu sei que tem casos piores do que a Lua, nós sabemos que não é mais dolorosa do que ninguém. Mas a gente tem que manter a força e o otimismo. Muito porque isso contagia a família, os médicos, a criança… Então isso é o mais importante. Respirar fundo e mentalizar sempre melhor possível e ir para luta, que é o isso que a gente pode fazer(…). Não adianta ficar ruminando coisa ruim na cabeça porque isso não vai adiantar nada. Agora é isso, a gente declarou guerra para essa doença”, comentou Tiago.