Tiroteio em escola no Texas: menina conta que passou sangue dos colegas no corpo para fingir que estava morta

Miah Cerillo, de 11 anos, ficou com um ferimento de bala nas costas e contou que fez o necessário para tentar sobreviver ao ataque

Resumo da Notícia

  • Miah Cerillo, de 11 anos, foi uma das sobreviventes do tiroteio que aconteceu na escola primária  Robb em Uvalde, no Texas
  • A menina contou que, para sobreviver, se fingiu de morta
  • Para isso, ela chegou a passar sangue de colegas no corpo
  • A menina ficou com um ferimento de bala nas costas

Miah Cerillo, de 11 anos, foi uma das sobreviventes do tiroteio que aconteceu na escola primária  Robb em Uvalde, no Texas. Ela era aluna de Irma Garcia, uma das professoras assassinadas no ataque. Em uma entrevista ao jornal estadunidense BBC, a tia menina contou que, para sobreviver, ela se fingiu de morta e chegou a passar o sangue dos colegas no próprio corpo.

-Publicidade-

Apesar de conseguir sobreviver, a menina acabou ficando com ferimentos de bala nas costas e precisou ser encaminhada a um hospital depois que a situação se acalmou. Pouco tempo depois, no entanto, ela foi liberada.

Tiroteio em escola no Texas: menina conta que passou sangue dos colegas no corpo para fingir que estava morta
Tiroteio em escola no Texas: menina conta que passou sangue dos colegas no corpo para fingir que estava morta (Foto: Getty Images)

“Ela fez o que tinha que fazer para sobreviver”, contou Rivera, tia da garota, ao jornal. Ainda de acordo com o que ela falou, agora a família está empenhada em ajudar Miah a superar os traumas causados pelo massacre.

Até o momento, estão confirmadas 20 mortes no atentado, sendo 19 crianças e uma professora. O autor do crime foi Salvador Ramos, de 18 anos, que também faleceu. A mãe do responsável pelo tiroteio chegou a se pronunciar depois do que ocorreu e pediu para que as pessoas não vissem o filho como uma pessoa ruim.