Vídeo mostra crianças chorando e presas com ‘camisa de força’ em escola infantil

A polícia está investigando o local, que fica na zona leste de São Paulo, por maus-tratos

Resumo da Notícia

  • Um vídeo circulou nas redes sociais de crianças sendo maltratadas em uma escola infantil
  • A escola fica na zona leste de São Paulo
  • Nas imagens pode-se ver as crianças amarradas com um lençol que parece uma camisa de força

Uma escola infantil particular está sendo investigada pela Polícia Civil por maus-tratos a crianças. O local que fica na zona leste de São Paulo está sendo denunciado após vídeos vazarem, onde mostram crianças chorando e amarradas com ‘camisa de força’ em um banheiro.

-Publicidade-

Nos vídeos é possível ver que as crianças estão dentro de um banheiro, sentadas em cadeirinhas de bebês, no chão, embaixo de uma pia e próximas à privada. Uma mãe disse ao portal do G1 que identificou seu filho em dois vídeos. As imagens foram gravadas dentro da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, na Vila Formosa, que é alvo de um inquérito policial aberto no Central Especializada de Repressão a Crimes e Ocorrências Diversas (Cerco) da 8ª Delegacia Seccional.

Além do crime de maus-tratos, a delegacia investiga a unidade escolar por suspeita de periclitação da vida e da saúde, que seria colocar a vida das crianças em risco, e submissão de crianças a vexame ou constrangimento. A polícia ainda tenta identificar quem fez as filmagens.

A Polícia investiga a escola infantil por maus-tratos
A Polícia investiga a escola infantil por maus-tratos (Foto: Reprodução/G1)

Até o momento ninguém foi responsabilizado pelos crimes. A Colmeia Mágica atende crianças com menos de 1 ano de vida até 6 anos de idade, que são do berçário ao Jardim 2. Com essas informações, a investigação pediu um mandado de busca e apreensão na unidade escolar por haver indícios de que os crimes seriam recorrentes.

A mãe que identificou o filho de quase 2 anos nos vídeos que circulam na internet prestou depoimento à polícia. “Identifiquei meu filho em dois vídeos. O primeiro, ele estava em um banheiro com mais quatro crianças amarradas, e no segundo, estava chorando com mais três bebês em uma sala no escuro”, disse. Para ver o vídeo clique aqui! 

Segundo ela, seu filho ficou com sequelas em razão do trauma que sofreu. “Vem apresentando um nervosismo intenso, dificuldade para dormir, ele chora quando vamos colocar ele na cadeirinha do carro, sabe. Nós achávamos que era de desenvolvimento dele, mas hoje com todas essas informações sabemos que é devido à forma que ele era tratado. Ele estudava lá desde os 11 meses.”