Criança

Você sabia que a dermatite atópica é mais comum nas crianças?

Dr. Claudio responde as principais dúvidas sobre a doença

Jéssica Anjos

Jéssica Anjos ,filha de Adriana e Marcelo

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

A dermatite atópica é uma doença caracterizada por uma erupção avermelhada que surge “do nada” em algumas áreas da pele das crianças. Em muitos casos, é um fator de incômodo, porque provoca coceira intensa até mesmo em crianças pequenas, com menos de 1 ano de idade.

A complicação é mais comum em crianças que têm pais ou parentes próximos com alergia de pele ou das vias respiratórias, como rinite e asma. O tratamento é um desafio para o pediatra, pois nem sempre se consegue detectar os fatores desencadeantes.

Além disso, costuma ser recorrente, vai e volta ao longo do tempo. Felizmente essa doença costuma melhorar sozinha e, em muitos casos, até mesmo desaparece totalmente. Algumas vezes são necessários medicamentos em forma de loções ou pomadas, ou por via oral, para controle dos sintomas.

Qual o principal fator desencadeador da dermatite? – Dayze Alves, mãe da Alice

Na maioria dos casos, não se detecta o fator desencadeante, mesmo com exames de sangue modernos ou restrições de possíveis condições ou alimentos que causam alergia, como corantes, conservantes, ambientes com pó, poeira, pólen, etc.

Os alimentos industrializados, com corantes vermelhos ou amarelos, são “vilões” muito comuns no desencadeamento, e algumas substâncias químicas, como amaciantes e perfumes, também costumam estar implicadas. Em crianças maiores, o stress também pode ser um fator desencadeante.

Qual melhor tratamento para dermatite atópica? – Milena Rocha, mãe da Marina

O ideal seria que pudéssemos identificar e eliminar o fator desencadeante, o que não é a regra. No entanto, algumas medidas simples ajudam no controle dos sintomas. Destaque para banhos rápidos e mornos, não mais do que uma vez ao dia e uso de cremes hidratantes neutros.

Recomendo que evitem o uso de amaciantes nas roupas e usem sabão neutro na lavagem, como o de coco. Alguns cremes à base de imunossupressores podem ajudar muito, e são utilizados com segurança. Os cremes de cortico