Todos os gostos, idades e valores: 43 dicas de presentes para o Natal

Veja as novidades e os brinquedos que estão fazendo sucesso!

dicas-de-presentes
(Foto: Shutterstock)

Estamos a menos de um mês do Natal e é importante se preparar com antecipação para a data, principalmente quando se trata dos aguardados presentes das crianças. Já está com uma cópia da cartinha de Natal dos seus filhos em mãos? Já está por dentro dos lançamentos e brinquedos que estão em alta? Então, bora fazer as compras porque deixar para a última hora é uma correria, além de ser muito arriscado!

-Publicidade-

Na galeria acima você vai encontrar um monte de sugestão de presente, mas na revista deste mês, que está nas bancas tem ainda mais opções! Na Pais&Filhos de dezembro, falamos também dos brinquedos mais adequados para cada fase das crianças.

0 a 12 meses

-Publicidade-

Quando o bebê nasce, o sentido que está mais desenvolvido é a audição. Então, a dica da fonoaudióloga Raquel Luzardo, mãe de Gabriel e especialista em linguagem e atendimento infantil, é oferecer brinquedos com estímulo sonoro suave e agradável.
“Ao fazer um som perto do ouvido do bebê, repare que ele vira a cabeça em direção a este som. Nesta fase, o chocalho é uma boa escolha”, sugere. Com o passar dos meses, as atividades de pés e mãos ficam mais intensas. “Se o bebê bate ou chuta acidentalmente o brinquedo ele percebe que há um movimento, começando a perceber a relação causa-efeito”, indica Raquel.

1 a 3 anos

Quando completam um ano de vida, os bebês já estão bem mais ativos. Adoram interação! Brinquedos musicais e livros com figuras coloridas chamam ainda mais atenção. Objetos que estimulam o movimento, como carrinhos de empurrar, blocos de montar ou simples caixas com coisas dentro para tirar e colocar de volta são ótimas opções de presente. Instrumentos musicais, como cornetas e tambores, também são bem-vindos. Por volta dos 3 anos, além de brincar, as crianças já podem organizar as coisas. “É importante que elas comecem a guardar seus brinquedos. Estimule a fazer isso como parte da brincadeira.”

3 a 5 anos

Mais estímulos ainda são reforçados com as brincadeiras quando a garotada vai chegando perto dos 5 anos. Além da linguagem, os brinquedos também começam a incentivar a coordenação motora e a imaginação. O que conquista mesmo o filho de Monique Morata, Rico, que tem 4 anos, é competir. “Ele também adora construir com massinha, mas ele tem que ser desafiado: ‘Será que conseguimos fazer uma maçã?’ e participar das  atividades da casa, como arrumar a mesa do jantar fazendo de conta que estamos em um restaurante”, conta Monique.

5 a 7 anos

Com o avançar da idade, os jogos que mexem o esqueleto são os que mais prendem a atenção das crianças. Além desses, a fonoaudióloga lembra a importância dos jogos de tabuleiro e de cartas. Eles incentivam a competição saudável, desenvolvem aspectos linguísticos e sociais, de acordo com Raquel. Nancy, mãe de Flávio, pode confirmar isso. Ela e o filho, de 8 anos, brincam juntos. “Flávio gosta de livros de truques mágicos onde lê, treina e faz a exibição. Nos jogos de cartas gosta de envolver pessoas da família e de mostrar suas capacidades como concentração e estratégias”, conta.

7 a 10 anos

Agora é a vez de usar a cabeça! É interessante que a família desperte nas crianças o gosto por coisas que estimulem o raciocínio e a criatividade. No entanto, é sempre bom lembrar que a escolha dos brinquedos não pode ser só pela indicação da idade. Assim como os adultos, as crianças têm gostos e desenvolvimentos diferentes. “Além da idade, devemos também levar em consideração a individualidade do filho, seus interesses e gosto pessoal”, lembra a fonoaudióloga.

Leia também:

Vídeo: Pais surpreendem as três filhas com presente de Natal inesperado

6 dicas para não se estressar nas festas de fim de ano

Presentes para o Natal por até R$ 150: para a praia e para a piscina

Previous Next
-Publicidade-