12º Seminário Internacional Pais&Filhos vai discutir o que é essencial para você e sua família

Em tempos de tanta incerteza, a certeza que fica é a de entender o que de verdade importa. Vamos juntos nessa busca durante 8 horas de live ao vivo no Facebook e YouTube da Pais&Filhos

Resumo da Notícia

  • O 12º Seminário Internacional Pais&Filhos acontece no dia 1º de dezembro de 2021
  • Durante 8 horas ao vivo de live no YouTube e Facebook da Pais&Filhos, iremos abordar "O que de verdade importa"
  • O evento contará com palestras, mesas-redondas, bate-papo, sorteios e ativações

O caminho do meio, a escuta atenta, o diálogo, a presença. Em tempos de tanta polarização, tudo isso está em falta também na parentalidade. De um lado, existe uma opinião. Do outro, uma outra visão. Você fala, mas nem sempre tem a certeza que te escutam. Falam com você, mas muitas vezes você nem ouve. E no meio desse ringue, sobram as mães sobrecarregadas e exaustas, pais sem poder de fala e filhos não sendo ouvidos. Nas famílias, chegam informações de todos os lados, cobranças, medos, julgamentos, culpa e autopunição. Com o tempo, todos esses sentimentos acabam virando faísca para uma bomba-relógio que pode explodir a qualquer momento.

-Publicidade-
A 12ª edição do Seminário Internacional Pais&Filhos irá discutir o que de verdade importa
A 12ª edição do Seminário Internacional Pais&Filhos irá discutir o que de verdade importa (Foto: Shutterstock)

É preciso cuidar da sua saúde mental, abrir os olhos e entender que a vida na parentalidade pode ser, sim, mais leve e gentil. Afinal, vivemos momentos de descobertas e claramente de caminhos infinitos. E não basta estar vivo, precisamos estar presentes para mostrar esses caminhos aos filhos e aprender com eles também.

O blábláblá não é de mentira

Ouvir e falar devem ser atributos do caminho até a felicidade. Em tempos de “ninguém se escuta”, está na hora de valorizar o diálogo desde o filho, passando por pais e avós. Qual é então o verdadeiro propósito da parentalidade? É criar para a vida. Ensinar e ser ensinado. Dar as mãos e mostrar o caminho. “Só quem tem filho sabe que a chegada de um bebê é uma transformação maravilhosa, fundamental, deliciosa e, ao mesmo tempo, terrivelmente cansativa. Justamente pelos momentos mais complicados serem os mais desafiadores. A gente não vive esses momentos em nenhuma outra situação da vida. Os pais vão passar por períodos que acreditam que não são fortes o suficiente ou vão pensar em desistir. Mas a relação com o filho vai se consolidando com o tempo. E essa consolidação e o aprendizado nos tornam mais fortes e dão cada vez mais condições de sermos pais melhores”, defende Marcos Piangers, jornalista e colunista da Pais&Filhos, pai de Anita e Aurora.

Criar os filhos é também escutá-los. Em um mundo cada vez mais conectado, é essencial se reconectar, identificar e entender as emoções que vão dar origem às reações em nosso dia a dia. Apesar de preferirmos os momentos felizes da vida, cada emoção tem a sua importância — e é necessário saber usá-las da melhor forma possível diante das frustrações e dificuldades. Os pais, com a síndrome de quererem ser perfeitos, costumam ter dificuldade em entender as emoções e respeitar suas individualidades. Por isso, é fundamental desenvolver um processo de autoconhecimento e reconhecimento das próprias necessidades. E o diálogo, tanto com você mesmo, quanto com o seu filho, parceiro ou parceira, é a grande chave para encontrar esse caminho de equilíbrio.

Viver bem é se escutar. “Ao lado do cuidado com seus filhos, os pais devem lembrar que vieram antes e têm suas próprias necessidades e desejos. Que eles possam respeitar-se na necessidade de solidão, de silêncio, de exposição e de convívio, que possam explicitar o que querem e terem voz para não desaparecerem como as pessoas que são por terem se tornado pais”, explica Silvia Lobo, mãe de Adriana, Suzana e Mauricio, psicóloga, psicanalista e autora do livro “Mães Que Fazem Mal”.

A voz que vem de dentro

Após a chegada de um filho, vem o momento do susto. Deixamos de ser homem e mulher para sermos pai e mãe e ainda nasce uma pessoa que depende de nós. Como entender a individualidade e manter a felicidade no aqui e agora? Afinal, só cria filho feliz uma mãe ou pai feliz. É importante lembrar que é preciso ter uma vida para além do filho. “Muitos pais acham que a vida como casal é uma afronta à criança. Mas é preciso encontrar um espaço para si, tanto como casal, quanto como homem ou mulher individualmente. Se você abre mão do restante da sua vida de uma forma muito radical, significa que a maternidade ou paternidade é tudo. E mais tarde, ele vai pensar que ser filho é tudo também — e dessa forma, não vai ter coragem nem para sair de casa, por exemplo”, defende Vera Iaconelli, psicanalista e doutora em psicologia, mãe de Gabriela e Mariana.

Se na família tradicional, a mãe ocupava o centro do palco como a figura mais importante das dinâmicas, a família contemporânea oferece hoje diversas possibilidades de interação. E levanta um questionamento: a intuição e o instinto feminino são dons ou algo inventado para sobrecarregar ainda mais as mulheres? Muito se fala sobre o tal do instinto materno ser algo exclusivo do sexo feminino, quase como um dom natural da mulher. Mas um estudo da Universidade de Bar-Ilan, em Israel, provou que o ato de criar uma criança desperta uma sequência de transformações no cérebro tanto para homens como para mulheres. Os pesquisadores também mostraram que os fundamentos neurais do então chamado instinto maternal não é único para as mulheres, e pode ser desenvolvido por qualquer pessoa.

O 12º Seminário Internacional Pais&Filhos acontece no dia 1º de dezembro de forma online e gratuita
O 12º Seminário Internacional Pais&Filhos acontece no dia 1º de dezembro de forma online e gratuita (Foto: Getty Images)

Mas como aprender a confiar nessa intuição para o bem-estar próprio e não só dos filhos? E como o parceiro ou parceira pode ajudar nessa busca? Novamente: se escutando e estando aberto para escutar o outro. E encontrando a sua felicidade e o que realmente importa para você. “A felicidade só existe dentro da gente, não fora. Ela é uma autobiografia que nos dá orgulho. Tem a ver, em primeiro lugar, com autoconhecimento: a forma que estou vivendo faz sentido pra mim? Em segundo lugar, com a coragem de organizar a nossa vida com base naquilo que nos preenche. Quando nossa vida chegar ao fim, olharemos para trás, para avaliar nossa autobiografia. Escrevê-la de um jeito bonito, todos os dias, nos faz felizes”, conta Marcos Piangers.

Em tempos de tanta incerteza, a certeza que fica é a de entender o que é essencial para você e a sua família. Vamos juntos nessa busca de encontrar a felicidade, que pode estar na sua cara. É preciso apenas estar aberto para ela. Por isso, é com muito orgulho que apresentamos o 12º Seminário Internacional Pais&Filhos – O que de verdade importa. Ao longo do evento, teremos muito conteúdo e troca de experiências, por meio de palestras com especialistas, mesa-redonda, pocket show, sorteios, ativações de marcas, para discutir esse tema durante 8 horas seguidas de live. A transmissão ao vivo acontece no Facebook e YouTube da Pais&Filhos, de forma gratuita. No Instagram, você também poderá acompanhar entradas pontuais e bastidores do evento com teasers e flashes, além de matérias no site atualizadas em tempo real para ver e rever as conversas com os participantes.