Especiais

Deixe de lado a culpa de ser uma mãe de segunda (ou terceira) viagem

Veja como se adaptar no momento que a família cresce

selo_seminario_oficial
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Shutterstock)

Quando as visitas forem ver o bebê, peça a eles para dar atenção para a criança mais velha primeiro (Foto: Shutterstock)

Um centro americano de pesquisa relacionado a bebês revelou que 94% das mães sentem-se culpadas pelos mais diversos assuntos, sendo um deles a quantidade de tempo que passam com os filhos. “É natural que as mães se preocupem em não ser capazes de dedicar tempo e atenção suficientes aos seus outros filhos com a chegada de um bebê”, afirma Ralli McAllister, médica familiar em Lexington, EUA.

Leia também

Chegou a hora de voltar ao trabalho após a licença-maternidade. E agora?

Vídeo: 7 coisas que aprendemos quando nos tornamos mães

Sem culpa de colocar cedo na creche

De acordo com McAllister, a transição pode ser especialmente difícil para mães que estão tendo o segundo filho. “Os pais têm uma relação única com apenas uma criança. Uma vez que um segundo filho chega à família, o primeiro torna-se irmão mais velho e a dinâmica da relação entre pai e filho muda drasticamente. Essa é uma mudança boa, mas o ajuste emocional pode ser desafiador, especialmente para os pais”, afirma a especialista.

Já deu para perceber que você não é a única mulher no mundo a sentir essa culpa, certo? Dividir o que você sente com outras mães pode ajudar a perceber que não está sozinha e a aliviar essa sensação.

Prepare previamente

“O quão melhor seu filho se ajustar ao novo bebê, menos culpa você vai sentir”, afirma Jennifer Malone, que dá aulas intituladas “Mães Pela Segunda Vez”, um cadeia de centros que oferecem aulas de pré-natal, sediada em Boston. Então conversar sobre a chegada do bebê pode ser uma boa ideia.

Malone sugere deixar seus filhos (inclusive os meninos) a cuidar de uma boneca com a qual vocês dois possam interagir. Existem também diversos livros sobre esse momento de ganhar um novo irmãozinho, que podem te ajudar.

Rebecca Guinn, ginecologista e obstetra do Hospital Metodista do Texas, nos EUA, acrescenta que garantir que o seu filho mais velho tenha objetos de posse que não terão que ser compartilhados após a chegada do bebê, pode ajudá-lo a sentir que o novo irmão não está tomando seu espaço. “Isso é especialmente verdade para um brinquedo favorito, um cobertor e a cama. Se o seu filho ainda está dormindo no berço que vai ser usado pelo bebê, garanta que você faça a mudança para a cama várias semanas antes da chegada do i