Mãe de 10 filhos: Mariana Arasaki mandou a real sobre maternidade no 13° Seminário Internacional Pais&Filhos

Ela veio presencialmente para Unibes Cultural fazer um bate-papo com a gente sobre a maternidade e a criação dos filhos

Resumo da Notícia

  • Mariana Arasaki mandou a real sobre a rotina como mãe de 10 filhos no 13° Seminário Internacional Pais&Filhos
  • Ela veio presencialmente para Unibes Cultural fazer um bate-papo com a gente sobre a maternidade e a criação dos filhos
  • Veja tudo que rolou na conversa

Mariana Arasaki é mãe de dez filhos e mostra a rotina dela ao lado das crianças nas redes sociais, além de dar dicas sobre como levar a maternidade de uma forma mais leve e com humor. Ela participou do segundo bate-papo do 13º Seminário Internacional Pais&Filhos de forma presencial. E a conversa foi demais!

-Publicidade-

Em tom de brincadeira, a apresentadora, Andressa Simonini, filha de Branca Helena e Igor, questionou Mariana, mãe de 10 filhos, sobre qual é o carro que ela tem – em referência ao número dos integrantes familiares. “Eu tenho dois carros de sete lugares”, disse a influenciadora digital. Na sequência, a Mariana Arasaki contou que, embora tenha uma grande quantidade de crianças em sua casa, ela tenta equilibrar com uma rotina regrada, a fim que ela possa vivenciar experiências ao lado das amigas, marido. E, claro, tem momentos sozinhas de próprio lazer. “A rotina na minha vida é fundamental para tudo funcionar. Ás vezes quero sair pra almoçar com as minhas amigas e marido”, iniciou.

Na sequência, ela falou sobre a importância fundamental da rede de apoio na vida dos pais, sobretudo, em pai e mãe que têm grandes quantidades de filhos – por exemplo, o seu caso pessoal. “A rede de apoio pra mim é fundamental, principalmente no meu pós-parto, porque eu fico muito chorona. Aí as minhas irmãs me dão um superapoio nesse momento, e o marido também”, contou.

Mariana no 13º Seminário Internacional Pais&Filhos
Mariana Arasaki no 13º Seminário Internacional Pais&Filhos (Foto: Reprodução / Arquivo Pais&Filhos)

Durante a entrevista, a jornalista Andressa questionou se a Mariana sempre teve o desejo de ter muitos filhos. Em devolutiva, a influenciadora falou: “Olha, ser mãe sempre foi um sonho meu. Mas quando eu conheci o meu marido, ele fez essa pergunta logo quando começamos a sair. Porque se ele não gostasse de criança, a gente já ia ter que terminar aqui ter aqui”. A falou ao marido que, “para começar a brincadeira”, ela queria quatro filhos. Em resposta, o marido falou: “Nossa, que demais”.  “A decisão de ter filhos é do casal, tem que tomar junto com o seu marido. Era um sonho meu, eu sempre quis ser mãe. Quando minha irmã casou, eu ajuda ela a cuidar dos meus sobrinhos. Isso me realizava”, explicou Mariana.

Entrando no assunto de “As mães vão dominar o mundo”, a Andressa perguntou sobre quela era o superpoder que a Mariana achava que tinha. “O superpoder que eu tenho, eu acho que é o bom humor. Eu tento buscar tudo com os bons olhos. Por mais que esteja acontecendo um problema naquele momento, eu sempre tento ensinar meus filhos o lado bom”. Ademais, a mãe de 10 filhos falou se pensava que, algum dia, fosse gerar tantas crianças: “Eu nunca tive um número”, esclareceu.

Ao mostrar sua vida familiar, a Mariana teve que lidar com comentários cruéis sobre seu processo maternal – principalmente, ao frequentar outros grandes ambientes público. “As pessoas olham um pouco diferente, por exemplo: se eu estou chegando em um restaurante com as crianças. Já estou acostumada. Sabe quando chega uma hora quando você não liga mais?. Abstraio se as pessoas faz esses comentários na frente dos meus filhos, e tiro eles de perto. Porque não quero que eles escutem isso”, desabafou.

O Beto Bigatti, pai de Gianluca e Stefano, embaixador da revista Pais&Filhos e coapresentador do 13º Seminário Internacional Pais&Filhos, disse à Mariana que ela e o marido transpareciam uma boa união e companheirismo. Com a fala, a influenciadora respondeu: “É a maior realização de nossas vidas. A gente não tem tanto tempo pra gente. Mas passa, porque as crianças crescem tão rápidos. Porém, nós sempre saímos para jantar fora, assistir um filme no cinema e uma ajuda ao outro.

Conheça Mariana Arasaki, participante do segundo bate-papo do Seminário

Já a Jennifer Detlinger, filha de Lucila e Paulo e editora de conteúdos especiais na Pais&Filhos, perguntou à Mariana sobre a culpa e o cansaço da mãe de dez filhos, e como ela faz para trazer mais leveza. “Assim, a culpa e o cansaço reinam na minha vida, qual mãe não sente isso? Mas quando e estou muito cansada – quando os filhos estão mais agitados – eu dou uma afastada dos meus filhos, me acalmo e volto. Na sequência, foi questionado se ela se considera uma boa mãe: “Acho que eu posso melhorar bastante. Porque a maternidade me transformou, sou uma Mariana completamente diferente de 10 anos atrás. A maternidade tira o “nosso eu” e deixa a gente mais generosa. Eu busco ser uma pessoa melhor pelo meus filhos. Os meus filhos vieram pra mostrar que nada disso importava. Eu não me culpo, mas acho que gente sempre pode melhorar. Eu busco melhorar sempre”, contou.

Por fim, Andressa questionou sobre o que ela queria ter feito antes de ser mãe. “Quando eu casei engravidei e comecei a faculdade de Direito. Mas fale: ‘Eu vou abrir mão da faculdade, aí quando eles estiverem grande, eu me dedico. Quando eles tiverem maiores, eu recomeço’. Mas agora não me faz falta”, finalizou.

Assista ao seminário

O evento está sendo transmitido ao vivo online através do Facebook e YouTube da Pais&Filhos. Além disso, no Instagram, também mostramos os bastidores e flashes do Seminário.

Programação completa

11h – Abertura

11h20 – Palestra 1 | Maternidade: nem pra mim, nem pra você, nem pra eles | Tatiana Paranaguá

12h20 – Bate-papo 1 | Beta Whately

12h50 – Mesa-redonda 1 | Pode dizer que são elas | Mariana Ferrão, Eliane Dias, Maya Eigenmann, Verônica Oliveira, Izabella Borges

14h30 – Palestra 2 | O poder da mãe | Marcos Piangers

15h20 – Bate-papo 2 | Mariana Arasaki

15h40 – Palestra 3 | Mãe também é gente: sexo, paz, rock ’n’ roll e pijama | Ana Canosa

16h20 – PAISdemia

16h40 – Bate-papo 3 | Izabella Camargo

17h15 – Mesa-redonda 2 | Cabo de guerra | Tatah Fávero e Vitin, Raka Minelli e Daniel Gaspary, Laura Gama e Camila Lucoveis

18h30 – Encerramento

Conheça o tema desta edição

Metade das pessoas no mundo são mulheres, a outra metade são pessoas que vieram ao mundo por causa de uma mãe. Ainda não ficou clara a importância em olhar de perto como vive essa mulher?

A gente reforça que um filho é responsabilidade do pai e da mãe, mas essa desigualdade de papel ainda está longe de acabar. Por isso, uma mãe responde diariamente pelas ações dela no mundo. Ao tentar fazer tudo “perfeito”, vão existir situações de acertos e de muitos erros.

Temos que estender as mãos a essas mulheres. Não largar de jeito nenhum. Os homens, pais, são fundamentais nessa conversa. Se a gente entender que o planeta depende de um ambiente cuidadoso com a criação dos filhos, tudo seria bem mais leve. E é isso que a gente busca. Mas sem ser levianos, vamos mostrar caminhos que podem ser fáceis de enxergar, mas muitas vezes dolorosos de falar.

Todo mundo vem de uma mãe. Só a partir disso já pode-se dizer que é um domínio mundial. As mães vão dominar o mundo, vamos olhar para isso com profundidade. O que a gente fizer hoje, reflete nesse mundo daqui alguns anos. Sua participação nessa conversa é fundamental.