Miá Mello e a mãe falam juntas sobre erros e acertos na maternidade durante o 11° Seminário Pais&Filhos

A atriz é mãe de Nina e Antônio, é humorista e apresentadora do programa Posso Explicar, no National Geographic e se propôs a se unir à Marcileni Mello, a própria mãe, para falar sobre os filhos

Resumo da Notícia

  • Miá Mello faz palestra com a mãe no 11° Seminário Internacional Pais&Filhos
  • O seminário tem como tema 'A Sua Realidade', apresentação de Natura Mamãe Bebê e patrocínio de Ninho
  • As duas ficaram por conta da palestra 'Pagando a Língua'

A segunda palestra do o 11º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Sua Realidade, apresentado por Natura Mamãe Bebê e com patrocínio de Ninho, foi muito especial! A palestra contou com a presença da Miá Mello e da mãe dela, Marcileni Melo. A conversa foi intitulada ‘Pagando a Língua’ e nela as duas falaram um pouco sobre esse hábito tão comum na maternidade. Acontece que a gente nunca imagina como nossos próprios filhos vão ser, não é mesmo?

-Publicidade-

Miá Mello é mãe de Nina e Antônio, atriz, humorista e apresentadora do programa Posso Explicar, no National Geographic e, no 11° Seminário Internacional Pais&Filhos ela se propôs a apresentar a palestra de uma forma um tanto quanto diferente: com a mãe dela, Marcileni Melo, que também é mãe de Alessandra e Carolina. A palestra começou com as duas revelando que não vão esconder nenhum segredo!

Marcileni confessou que paga a língua diariamente na maternidade. “Você planeja, sonha, cria e os filhos vêm pra exatamente fazer o oposto. Eles vêm pra mostrar que você não tem razão e ponto final”, brincou ela, contando sobre as diferenças entre a as expectativas e a realidade na criação das filhas, além de comentar a diferença entre as filhas.

Logo depois foi a vez de Miá Mello contar quando mais pagou a língua. “Acho que a coisa da escola tem pegado muito aqui em casa. Porque eu dei muito trabalho para minha mãe, questionava, não queria ir pra escola. E agora eu que tenho convencer minha filha de ir pra escola, da importância do momento. Acho que ela só me escuta de verdade quando me conecto com ela com minhas fraquezas. Eu como mãe tento me colocar em um lugar de perfeição, mas isso não conecta a gente. Quando eu falo do que eu passei, eu consigo me conectar com ela”, reparou Miá.

Miá Mello e a mãe falam juntas sobre erros e acertos na maternidade durante o 11° Seminário (Foto: Pais&FIlhos)

E Marcileni confirmou! “Quando ela estava com 16 anos, eu fiquei cansada e falei pra ela: vai fazer faculdade sim porque quando for presa ganha cela especial”, brincou ela, provando que vai trazer o bom-humor para o bate-papo!

Logo em seguida, as duas provaram que têm uma relação ótima e Miá fez questão de ressaltar que sempre que precisa de ajuda, liga para mãe para pedir conselho. “Ela consegue dividir a experiência dela e acolher ao mesmo tempo”, comentou Miá, se orgulhando da própria mãe.

Marcileni, ainda, abriu o jogo sobre as travessuras de Miá quando criança. “Ela sempre teve muita energia! Até nasceu de 7 meses”, brincou ela. “Um professor me perguntou uma vez como coseguir fazer ela ficar um minuto sentada, mas não dava”, continuou . “Mas desde sempre ela é muito generosa, bem humorada. Então ela fazia as coisas e assumia quando errava, sempre foi assim”, completou.

Como a mãezona que é, Marcileni também falou das outras filhas e contou que uma é completamente diferente da outra. “Se na mesma casa, com tudo igual, elas eram diferentes, como fazer para duas filhas ser iguais? Nunca vai ser”, garantiu ela. “Eu sempre ouvi ela falar disso da diferença das personalidades das filhas. E é muito isso, é super diferente”, completou Miá.

Por isso, a apresentadora já teve o segundo filho imaginando que as coisas funcionariam da mesma forma. “Mas no fundo, imaginava que seria mais ou menos parecido”, confessou ela. Miá, ainda, contou que acredita que a criação do segundo filho não foi tão mais fácil quanto ela pensava. “O Antônio e a Nina são muito diferentes. Mas acho que a maternidade da Nina me preparou para a maternidade do Antônio, que tem sido muito mais difícil, mas é um difícil relativo, né?”, contou. As duas falaram sobre as dificuldades de ter filhos, mas Marcileni confessou: no fundo, vale à pena (e muito). “Filho é a melhor coisa do mundo. Se soubesse que era tão bom teria mais dois ou três”, contou.

Mas perder a paciência faz parte! Marcileni confessou que às vezes perde a paciência até hoje, menos com as netas! Mas, mesmo nos momentos de perder a paciência, Marcileni sempre tentou ser uma mãe compreensiva e acredita na possibilidade do diálogo na hora da educação. “Meus pais sempre tiveram uma educação muito moderna, de vanguarda, de liberdade. É essa coisa de oferecer a liberdade com responsabilidade. Isso é uma coisa que eu sempre vi muito neles e que quero seguir com meus filhos também”, contou Miá.

Mas, claro, as broncas vinham! E, apesar de não entender na época, Miá confessa que hoje, depois de ser mãe, vê sentido em tudo que a mãe faz e fez. “A gente entende tudo, esse nervoso que dá”, contou a apresentadora. “Várias situações a gente se coloca no lugar e passa a ser muito mais empáticos com nossos pais”, pontuou.

E não só de pagar a língua foi esse bate-papo! Marcileni também contou o que admira na família de Miá: a forma na qual ela consegue conversar com os filhos e a inteligência emocional na hora de educar os filhos. Ela contou, ainda, que segue sendo otimista com os filhos. “Eu sigo sendo otimista. Não sei bem se é uma qualidade ou um defeito”, brincou ela.

Miá pegou essa positividade da mãe. “Eu credito toda a leveza que eu tenho na vida a ser uma pessoa dessa forma. O momento atual está muito difícil, não está fácil se manter positiva, não é toda hora, até mesmo como mãe. Mas eu sempre tento pensar nesse ponto, agradecer pela família que eu tenho. Todo dia eu tento mentalizar e entender que está tudo bem. É muito difícil criar filho sem a tal da aldeia”, contou ela, sobre a pandemia e as distâncias que ela trouxe. “Não romantizo. Queria estar vivendo a vida a milhão com meus filhos”, completou, acrescendo uma mensagem sobre a pandemia: “Está difícil para todo mundo. Mas se eu puder servir uma palavra de consolo, é isso, tentar olhar para os filhos, se apegar a eles para tentar tirar algo bom desse período tão difícil”.

Para acompanhar ao vivo o que está rolando, é só ir ao nosso YouTube ou Facebook, ou dar play no vídeo abaixo:

O tema do 11° Seminário: A Sua Realidade

Colocar um filho no mundo é um exercício para a vida inteira. E vamos falar a real? Não existe mãe, pai ou filho perfeitos. Não fala que você não vai errar durante a maternidade ou paternidade, porque você vai. Ao mesmo tempo, é importante fugir daquela obrigação de estar sempre expondo os seus erros como mãe ou pai para todo mundo.

Mas conforme seu filho vai crescendo, como fica essa relação entre os erros e os acertos? O sofrimento e a realização plena? A felicidade e a tristeza? A culpa e o alívio? E se a maternidade gera tanta culpa e dor, por que vale a pena? Esse é o tipo de pergunta que não tem justificativa. É tentar explicar o inexplicável: o amor de mãe e pai. Afinal, é com o amor e construção da parentalidade que os erros se transformam em acertos. E vice-versa.

Cada família tem a sua realidade e sabe o que é melhor para o filho no momento da criação. Em meio a esses erros e acertos, você vai encontrando aos poucos a sua forma de amar, cuidar e criar vínculos entre pais e filhos. Por isso, chegamos ao tema desta edição.

Programação 11º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Sua Realidade

  • 11h | Abertura
  • 11h20 | Mesa-redonda – 7 (e muito mais!) pecados capitais – com Vera Iaconelli e Lia Bock
  • 12h50 | Palestra: É o amor – com Marcos Piangers, pai de Anita e Aurora, jornalista, escritor e colunista da Pais&Filhos
  • 14h20 | Pocket-show com Negra Li, mãe de Sofia e Noah, cantora, compositora e colunista da Pais&Filhos
  • 15h00 | Bate-papo com Patricia Tobo, filha de Paulo e Maria, pesquisadora e vice-diretora de Ciências de Bem-Estar da Natura
  • 15h30 | Palestra – Pagando a língua – com Miá Mello e Marcileni Melo, filha e mãe
  • 16h30 | Bate-papo com Família Baltar -Humberto e Thainá, pais de Apolo
  • 16h50 | Palestra: Confia e vai! – com Humberto Baltar, pai de Apolo, educador e fundador do coletivo Pais Pretos Presentes
  • 17h40 | Mesa-redonda: Mil e uma realidades – com Thiago Queiroz, Daniela Becker, Fafá Conta, Aline Barbosa.
  • 18h50 | Encerramento