PAISdemia: veja detalhes da evolução da pesquisa apresentados no 13° Seminário Internacional Pais&Filhos

Bia Borja, jornalista de dados e mãe de Gabriel e Giovana, participou de um bate-papo no nosso evento para falar mais sobre o projeto

Resumo da Notícia

  • O projeto PAISdemia é um levantamento exclusivo que busca entender o impacto da pandemia nas relações e comportamentos entre pais e filhos
  • Ele está sendo feito em parceria com a Pais&Filhos
  • Bia Borja, jornalista de dados e mãe de Gabriel e Giovana, participou de um bate-papo no nosso evento para falar mais sobre o projeto
  • O tema do seminário este ano é 'As mães vão dominar o mundo'

Mais um bate-papo incrível acabou de rolar aqui no 13° Seminário Internacional Pais&Filhos – As mães vão dominar o mundo. Dessa vez, falamos com Bia Borja, uma das idealizadoras do projeto PAISDemia, que busca entender o impacto da pandemia nas relações e comportamentos entre pais e filhos.

-Publicidade-

Bia é jornalista de dados, mãe de Gabriel e Giovana e deu um verdadeiro show no bate-papo! Por aqui, ela falou um pouco mais da evolução da pesquisa e tudo que descobriram até agora.

Durante a conversa, Andressa Simonini, editora executiva da Pais&Filhos e filha de Branca Helena e Igor levantou em pauta: O que a pandemia afetou na vida da criança e o que irá influenciar no futuro delas. Ela também questionou Bia Borja sobre o que o tema do seminário, e ela respondeu: “É um tema fundamental tanto para as mãs, como para os pais e também para os filhos”.

Ela falou sobre a pandemia e como que a PAISdemia surgiu, “Eu montei praticamente um parquinho de infância dentro de casa para Giovana e acompanhei os estudos do Gabriel. A gente vai ver aqui um, dois, três, dez anos passando pelos reflexos da pandemia“. A jornalista também pontuou a importância do diálogo com os filhos e que o projeto PAISdemia trabalha: “A gente acha bacana conversar com os filhos também. O legal é o diálogo. Esse é o grande diferencial do nosso trabalho”.

A jornalista compartilhou no seminário muitas histórias que o projeto PAISdemia já recebeu. Ela contou sobre a própria vida e o impacto financeiro que a pandemia teve na vida das famílias. “Os pais que não estavam acostumados a ter os filhos no ambiente de casa, e com a pandemia, as pessoas começaram a ver que elas precisavam ajudar o próximo”.

Bia Borja trouxe o tema da pandemia dentro dos lares
Bia Borja trouxe o tema da pandemia dentro dos lares (Foto: Reprodução/ Arquivo pessoal Pais&Filhos)

“As histórias inspiram e elas tem muitos aprendizados. Há a sensação de não estar sozinha, gente sentindo a mesma coisa que senti” Bia Borja relatou a experiência própria da pandemia. Por fim, ela disse: “E com esse amor e esse acolhimento que a gente vai fazer a diferença. Eu sinceramente acho que a pandemia não acabou, mas que sempre tenha o acolhimento”, citando o projeto PAISdemia.

Assista ao seminário

O evento está sendo transmitido ao vivo online através do Facebook e YouTube da Pais&Filhos. Além disso, no Instagram, também mostramos os bastidores e flashes do Seminário.

Programação completa

11h – Abertura

11h20 – Palestra 1 | Maternidade: nem pra mim, nem pra você, nem pra eles | Tatiana Paranaguá

12h20 – Bate-papo 1 | Beta Whately

12h50 – Mesa-redonda 1 | Pode dizer que são elas | Mariana Ferrão, Eliane Dias, Maya Eigenmann, Verônica Oliveira, Izabella Borges

14h30 – Palestra 2 | O poder da mãe | Marcos Piangers

15h20 – Bate-papo 2 | Mariana Arasaki

15h40 – Palestra 3 | Mãe também é gente: sexo, paz, rock ’n’ roll e pijama | Ana Canosa

16h20 – PAISdemia

16h40 – Bate-papo 3 | Izabella Camargo

17h15 – Mesa-redonda 2 | Cabo de guerra | Tatah Fávero e Vitin, Raka Minelli e Daniel Gaspary, Laura Gama e Camila Lucoveis

18h30 – Encerramento

Conheça o tema desta edição

Metade das pessoas no mundo são mulheres, a outra metade são pessoas que vieram ao mundo por causa de uma mãe. Ainda não ficou clara a importância em olhar de perto como vive essa mulher?

A gente reforça que um filho é responsabilidade do pai e da mãe, mas essa desigualdade de papel ainda está longe de acabar. Por isso, uma mãe responde diariamente pelas ações dela no mundo. Ao tentar fazer tudo “perfeito”, vão existir situações de acertos e de muitos erros.

Temos que estender as mãos a essas mulheres. Não largar de jeito nenhum. Os homens, pais, são fundamentais nessa conversa. Se a gente entender que o planeta depende de um ambiente cuidadoso com a criação dos filhos, tudo seria bem mais leve. E é isso que a gente busca. Mas sem ser levianos, vamos mostrar caminhos que podem ser fáceis de enxergar, mas muitas vezes dolorosos de falar.

Todo mundo vem de uma mãe. Só a partir disso já pode-se dizer que é um domínio mundial. As mães vão dominar o mundo, vamos olhar para isso com profundidade. O que a gente fizer hoje, reflete nesse mundo daqui alguns anos. Sua participação nessa conversa é fundamental.