Simone Uriartt fala sobre adoção no 10º Seminário Pais&Filhos: “A relação a gente constrói”

A co-gerente do Projeto Adoção Tardia foi a terceira palestrante desta terça-feira e usou a própria história para falar sobre a importância da adoção

Resumo da Notícia

  • Chegamos à decima edição do Seminário Internacional Pais&Filhos
  • O tema da vez é: Quem Ama Cria
  • Anota aí, ele acontece de maneira completamente digital e gratuita nas nossas redes sociais

E para comandar a terceira palestra do 10° Seminário Internacional Pais&Filhos desta terça-feira, 1 de dezembro, a convidada da vez foi Simone Uriartt, filha de Sonia e Ari. Logo depois da hora do almoço, ela conversou com o público do seminário sobre adoção e a importância dos laços familiares – sejam ele de sangue ou de criação.

-Publicidade-
Simone foi a terceira palestrante (Foto: Pais&Filhos)

A fala de Simone vem da própria experiência como filha: a empresária foi adotada pelos pais e sentiu na pele como é o processo de construção de vínculos com uma nova família. Ela começou  a conversando contando de memórias da infância, de quando foi morar com Sonia e Ari. “Estava assustada naquele ambiente, mas eu não era a única. Minha mãe também estava desconfortável, a relação a gente constrói”, confessou.  Sobre a criação dos laços, Simone diz que trata-se de uma construção conjunta. “O senso de pertencimento foi criado com pequenos gestos de carinho e atenção. Na minha casa era pela festa de aniversário, meus pais se esforçavam para realizar o que eu escolhia”, conta.

Simone, que também co-gerencia as atividades do Projeto Adoção Tardia (@adocaotardia), iniciativa que busca mudar o discurso sobre adoção e a percepção sobre crianças e adolescentes acolhidos, falou que sempre se sentiu acolhida em casa pelo diálogo.  “A adoção nunca foi um tabu na minha casa. Tratamos com muito cuidado e transparências, e as perguntas que eu tinha sempre foram respondidas. Foi natural durante o meu desenvolvimento e eu entendi que não precisava ter vergonha daquilo”, falou.  “Não é sobre intensidade, grandes momentos. É sobre periodicidade”, completa.

-Publicidade-

Ao reencontrar a família biológica, quando mais velha, Simone questionou: “Tinha laço de sangue, mas será que tinha de afeto?”. A palestrante contou que era difícil se relacionar emocionalmente com a mãe, por exemplo, já que não tinha memórias conjuntas – conexões. Já o encontro com os irmãos mais velhos, de quem a empresária sempre se lembrou, foi mais “fácil”, mas mesmo assim complexo. “Não me senti irmã deles no primeiro dia. Não foi assim”, explica.

A empresária finalizou a conversa de hoje comentando sobre a importância de ter uma história inspiradora, mesmo que ela não seja necessariamente um exemplo.“A minha história não é um modelo a ser seguido. É só um tipo que mostra como os adotados lutam para encontrar a sua identidade, assim como as famílias lutam para criar laços”, disse. Ela ainda chamou a atenção pela necessidade de mudar o julgamento que cai no ombro das famílias biológicas dessas crianças.”O Brasil é um país muito desigual e os motivos para o abandono ou a perda da guarda dos filhos é muito complexa”, explicou.

Simone Uriart também está desenvolvendo o documentário Adoção Tardia e mostrou alguns trechos exclusivos para o Seminário. “Adoção é o encontro de duas vidas”, falou uma das entrevistadas. O projeto está sendo filmado desde fevereiro e deve ser lançado no primeiro semestre de 2021. “Tudo que as famílias falam é muito relevante, é real”, fala. “Mas no meu mundo ideal a adoção não existirá. Toda família receberá o apoio necessário para criar e acolher aqueles filhos”, finalizou.

O tema do 10º Seminário: Quem Ama Cria

A Pais&Filhos acredita que não existe jeito certo ou errado na hora de criar e cuidar de um filho, mas sim o seu jeito. Por isso, antes de sair por aí procurando mil e uma dicas, saiba que não existe ninguém no mundo que conhece seu filho melhor do que você.

E mais do que isso, em 2020 e com a chegada da pandemia do novo coronavírus no mundo, a criação e cuidado com a família foram além. Esse novo momento trouxe para dentro de cada um de nós um jeito novo de criar vínculos. Palavras como felicidade, impulso, adaptação, abraço, carinho, vínculo, rede de apoio, saudade: tudo isso está na criação de um filho. Mas da onde vem esse ato de criar?

Esse instinto está na parentalidade. E ele não é exclusividade da mãe ou do pai, mas sim de quem cria. Então, na boa, vai na tua! Sem medo de viver, de confiar e de abraçar o que você acha melhor para seu filho.

Sobre o 10º Seminário Internacional Pais&Filhos:

  • Transmissão online no Facebook e YouTube da Pais&Filhos
  • Aberto ao público online e gratuito
  • Inscrição e participação online para os sorteios ao longo do dia, inscreva-se aqui!

Para ver mais detalhes, a programação completa e se inscrever nos sorteios, acesse o site do Seminário!

-Publicidade-