13 é demais! Pais de 6 decidem adotar mais 7 irmãos

Wade e Michelly Torppey não pensaram duas vezes para adotar as crianças que perderam o pai e a mãe em menos de 2 anos.

Resumo da Notícia

  • Uau! Um casal que já tinha 6 filhos ainda decidiu adotar mais 7 irmãos
  • O caso aconteceu entre a Ucrânia e os Estados Unidos
  • Michelly e Wade Torppey ainda falaram um pouco sobre a vida com 13 filhos

13 é demais! Mas não para Michelly e Wade Torppey – que, mesmo já sendo pais de 6 crianças, não pensaram duas vezes para adotar 7 irmãos na Ucrânia. Mesmo sendo dos Estados Unidos, o casal decidiu que não abriria mão incorporar os órfãos na própria família.

-Publicidade-

Ao portal de notícias North Jersey, Wade afirmou que essa foi uma atitude completamente normal para ele e a esposa. “Se há uma coisa que achamos que podemos fazer bem, e outras pessoas nos disseram que fazemos bem, seria ser pais. Eu gostaria de pensar que é um presente que temos e que Deus nos deu, e ele está nos pedindo para fazê-lo um pouco mais do que planejamos”, conta.

Os irmãos Olena, 17, Leeza, 14, Slavik, 12, Alina, 11, Anhelina, 9, Senya, 8 e Jenya, 6 estavam vivendo no orfanato de Mokrats, na Ucrânia, quando tiveram contato com a nova família. Wade e Michelly contam que conheceram o grupo através de uma organização chamada Open Hearts and Homes For Children – que auxilia na adoção de grupos de irmãos órfãos.

Michelly e Wade são pais de 13 filhos
Michelly e Wade são pais de 13 filhos (Foto: Reprodução/ North Jersey)

Por lá, inclusive, os pais descobriram que as crianças haviam perdido primeiro o pai biológico e, dois anos depois, a mãe. Ao todo, eram 10 filhos na família – mas dois deles já foram adotados por outros casais e estão foram do sistema.

Inicialmente, Michelly e Wade relembram as dificuldades do primeiro contato com as crianças – especialmente na língua. “Pudemos ver algumas personalidades fortes e o tipo de problemas que você esperaria quando os filhos perdem seus pais. Se alguém perguntar qual é o idioma principal da casa agora, eu digo charadas. Quando tudo mais falha, existe o Google Tradutor no telefone”, brinca ainda Michelly.

Agora, a família já está adaptada e as crianças, mesmo em um país novo e uma língua diferente, conseguiram até fazer novas amizades no colégio que frequentam. Dentro de casa, o convívio parece cada vez melhor. “Quando nosso filho mais velho se mudou e se casou, Zoey [filha de 15 anos do casal] tinha o quarto maior”, relembra Wade. “Ela desistiu pelos três meninos. Ela é a jovem mais doce, tão altruísta que desistiu sem pensar duas vezes”, finaliza. Demais!