“Filme de terror”: vídeo mostra alunos sendo socorridos durante crise coletiva de ansiedade em escola

Os estudantes tiveram uma crise de ansiedade, na qual o motivo que desencadeou a situação ainda não foi descoberto. A situação viralizou nas redes sociais

Resumo da Notícia

  • Os 26 alunos são estudantes do ensino médio de uma escola localizada no Recife
  • Os jovens tiveram uma crise de ansiedade ao mesmo tempo. O motivo que deu origem a situação ainda é desconhecido
  • O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) prestou socorro a todos os alunos

Estudantes saíram em pânico das salas de aulas de uma escola estadual no Recife, na última sexta-feira, 8 de abril. Cerca de 26 alunos se retiraram da escola após apresentarem sintomas como, por exemplo: Falta de ar, tremor e grave crise de choro. Em seguida, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) prestou socorro aos jovens desamparados.

-Publicidade-

Em entrevista ao g1, realizada em 10 de abril, dois dias após o ocorrido – o pai de uma aluna do do 1º ano no ensino médio disse que a situação era assustadora, e lembrava um “cenário de filme de terror”. “Minha filha saiu da escola com uma amiga. Ela disse que o cenário era de filme de terror, com correria e tumulto. Já no ônibus, ela me ligou dizendo que tinha deixado a escola e estava indo para casa”, disse o pai.

Segundo o patriarca, a dor e sofrimento retornou à mente da filha de 14 anos. A adolescente disse ao pai que algumas amigas também estão com medo de voltar às aulas. Ainda em entrevista, o homem disse que a filha não quer relembrar o que aconteceu. “Ela diz que dá agonia de lembrar, diz que o olho escorre lágrimas”, afirmou.

Alunos têm crise de ansiedade em escola no Recife
O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) prestou socorro aos alunos que apresentavam sintomas de crise de ansiedade (Foto: Reprodução/G1/WhatsApp)

O caso que viralizou aconteceu na Escola de Referência em Ensino Médio (Erem) Ageu Magalhães, localizada no bairro de Casa Amarela, na zona Norte do Recife.  À imprensa, o Samu disse que os jovens apresentaram sudorese, saturação baixa e taquicardia. Todos foram atendidos no local.

A mãe de outra aluna de 15 anos, que também cursa o 1º ano do ensino médio, se deslocou à escola logo em seguida de saber do ocorrido. “A escola não entrou em contato comigo na hora. Um colega de sala da minha filha me ligou e fui até a escola. Chegando lá, vi seis ambulâncias e, na entrada, vários adolescentes, alguns desmaiados, alguns chorando bastante”, contou.

De maneira geral, as razões pelas quais se deu início a crise coletiva de ansiedade, são desconhecidas. Mas, segundo a mãe da aula de 15 anos, a crise começou após uma estudante perder os sentidos. “Os alunos combinaram de esperar acalmar, mas aí o desespero tomou conta da maioria porque eles tinham medo de que fosse algo mais grave”, contou a responsável por um das alunas na escola.

A crise de ansiedade de uma aluna desencadeou uma reação em cadeia, que atingiu várias turmas da escola. Em pouco tempo, os estudantes de outras classes começaram a gritar – no qual o som podia ser ouvido pelos corredores, acentuando ainda mais o clima de tesão. Segundo o especialista Igor Lemos, psicoterapeuta cognitivo-comportamental, em entrevista ao g1 – algumas situações podem desencadear o “adoecimento partilhado”, que age em efeito dominó.