Família

5 coisas que fazem você se sentir culpada como mãe (e não deveriam) 

Culpa não!

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

Você não deve e nem pode se sentir culpada (Foto: Getty Images)

Uma mãe enviou, um relato sincero sobre maternidade e sobre mudanças depois que o primeiro filho nasce, ao site australiano Babyology. O relato fala sobre expectativas versus realidade e também sobre a pressão que as mães sentem e como isso pode trazer uma culpa que não as pertences.

“Não havia somente o meu bebê para cuidar, mas também tinha pilhas e pilhas de roupas, pilhas de pratos sujos e amizades que pareciam ter existido só em outra vida. Sem falar do meu casamento, que também estava sendo negligenciado. A culpa me atingiu com força. Eu deveria ter sido capaz de gerenciar tudo isso, mas, honestamente, eu não estava. Porque eu era mãe agora e estava passando por um grande ajuste.”

Então surgiu a lista de 5 coisas que podem fazer com que as mães de primeira viagem sintam culpa, mas que é super normal que aconteça:

01. As roupas

Este é um grande problema, porque, como a gente sabe, os bebês usam e sujam muitas roupas. As coisas vão poder estar sujas de cocô! Não se sintam culpadas por não conseguirem lidar com todas as roupas de uma vez. Sempre haverá mais. Então, coloque sua culpa sobre o cesto de roupa suja e passe para coisas melhores! Ou melhor ainda, faça o seu marido ou parceiro lidar com isso.

02. O estado da casa

“Até que eu descobri as alegrias de um sling e ser capaz de ter o bebê comigo enquanto, eu fazia as coisas da casa, minha casa era um chiqueiro. Foi uma batalha constante para chegar ao topo das coisas. Mas tudo bem, porque os bebês recém-nascidos mudam as prioridades da mãe de uma maneira grandiosa. Um bebê feliz e estabelecido em uma casa que é um pouco confusa é muito mais importante do que um bebê chateado em uma casa arrumada.

03. Pegue o seu bebê no colo

Quem disse que uma mãe pode abraçar muito o bebê estava mentindo. Não há coisa igual do que segurar o seu bebês ou enche-lo de abraços e beijos. Até a ciência  diz isso! Então sente-se e divirta-se com o seu querido bebê, porque não há absolutamente nenhuma razão para que você não o faça. Os bebês são pequenos apenas por um curto período de tempo e isso não é algo que você vai se arrepender.

04. Aproveitando o tempo de playgroup ou biblioteca

Não tem nada de errado em ficar com as crianças em parquinhos ou em bibliotecas ou em qualquer espaço público, muito pelo contrário, é muito importante que você tenha algum tempo com a criança. Mas se por algum motivo você não puder ir em algum momento, ou você achar que pode se machucar, não se sinta culpada em não ir. Terão muitos outros momentos.

05. Mudar relacionamentos

Antes de ter um bebê, sair para um café com um amigo era rápido, fácil e exigia uma preparação mínima. Adicionar um recém-nascido a essa equação, no entanto, certamente muda as coisas. Então, ter que encontrar-se com amigos em torno do horário do cochilo do bebê, ou precisar cancelar porque você está tão cansada que não seria seguro dirigir. Tudo isso é perfeitamente normal para uma mãe de primeira viagem.

Arranjar uma folga para você, demonstrar certo amor-próprio e compaixão durante este período de transição  é essencial. Lembre-se: você é o suficiente para o bebê e capaz, mas lembre-se… também é importante achar um tempo para si. Isso pode melhorar o seu humor e por consequência o do bebê.

Leia Também:

É mãe de primeira viagem? Saiba o que esperar do primeiro trimestre de gestação

21 coisas pra dizer a uma mãe de primeira viagem 

Mãe de primeira viagem faz desabafo sincero e conquista a internet: “Por favor, pare de me aterrorizar”