7 sinais de alerta no relacionamento do casal: saiba quando buscar ajuda 

Embora esses problemas possam não ser a receita para uma separação, pode valer a pena conhecê-los a fim de evitá-los

Resumo da Notícia

  • Você já ouviu falar sobre sinais de alerta no relacionamento;
  • Ou seja, ações ou padrões que provavelmente indicam que é hora de buscar ajuda profissional ou, possivelmente, até de se separar;
  • As chamadas “bandeiras rosas” - podem ser precursoras de problemas mais graves - saiba como evitar.

Você já ouviu falar sobre sinais de alerta no relacionamento – ações ou padrões que provavelmente indicam que é hora de buscar ajuda profissional ou, possivelmente, até de se separar. As chamadas “bandeiras rosas” – podem ser precursoras de problemas mais graves. E depois de identificar suas bandeiras rosas, você vai querer agir rapidamente.

-Publicidade-

“Embora não levem necessariamente ao divórcio ou separação, podem levar à falta de conexão, ressentimento, depressão ou frustração”, diz Alyza Berman, LCSW, RRT-P, fundadora da Berman Psychotherapy em Atlanta.

Stephanie Macadaan , uma terapeuta matrimonial e familiar licenciada na área da baía de São Francisco, acrescenta: “Ficar ciente das interações ou diferenças que desencadeiam raiva ou ressentimento e abordar essas questões logo no início é importante. Ignorar bandeiras cor-de-rosa e apenas empurrá-las para debaixo do tapete tende a tornar os problemas maiores e mais difíceis de superar. ”

Saiba quais são as sete bandeiras rosas mais comuns entre casais que têm filhos e como enfrentá-las, de acordo com os especialistas:

Os pais não conversam sobre a forma que criam os filhos

Os estilos de criação dos filhos tendem a variar pelo menos um pouco entre os parceiros, porque muito raramente as pessoas crescem exatamente da mesma maneira. Mas a falha em abordar essas questões, é um fator que causa problemas entre alguns casais.

As bandeiras rosas no relacionamento podem ser evitadas. Descubra como (Foto: Getty Images)

“O que você vivenciou com seus pais é normalmente a luz que orienta o que você deseja imitar ou evitar”, diz Macadaan. “Ter essas conversas com seu parceiro é realmente útil, porque cria um entendimento mais profundo um do outro em vez de apenas uma luta pelo poder, sem contexto. Esse entendimento torna mais fácil trabalhar com conflitos e diferenças.”

É importante reconhecer quando um dos pais concorda com o comportamento de um filho e o outro não – e as razões de seus sentimentos. Isso porque, enquanto alguns pais podem olhar para os filhos e pensar: “Ele é exatamente como eu era quando era mais jovem”, o outro pai pode pensar: “Ele é exatamente como o pai nesse aspecto, e isso me deixa louco!” ou “Esta criança é completamente diferente de mim quando eu era criança e é muito difícil para mim entendê-los”, observa Melanie Pearl, Ph.D., psicóloga escolar licenciada e certificada nacionalmente em Ridgefield, Connecticut.

Esses conflitos dificultam o trabalho dos pais como uma equipe, causando problemas no gerenciamento do comportamento das crianças: “Por exemplo, uma criança pode mostrar um comportamento do qual a mãe realmente deseja se livrar, mas o pai diz que ele costumava fazer isso quando era criança e fica elas por elas – o que com o passar dos anos, podem se tornar um problema maior”, diz o Dr. Pearl.

Vocês não concordam com a forma de guardar ou gastar o dinheiro da família

Talvez você queira economizar para se aposentar mais cedo e seu parceiro insiste em colocar todo o dinheiro em um fundo de férias. De qualquer forma, quando uma pessoa em um relacionamento tem uma opinião forte sobre a maneira como as finanças devem ser administradas, e a outra pensa de maneira diferente, isso pode criar tensão ou ressentimento.

É importante que você converse com o parceiro ou parceira sobre tudo (Foto: Istock)

Para agravar a questão, tendemos a evitar conversas difíceis sobre dinheiro. “Eu também percebi que este é o tópico mais incômodo para casais e pais abordarem, especialmente se a família está com um orçamento apertado ou lidando com a perda de um emprego ou outra circunstância imprevista”, disse Berman. “Nunca é divertido conversar sobre questões financeiras, mas é essencial ter essas conversas difíceis, especialmente quando crianças e outras pessoas estão envolvidas ou são afetadas por essas decisões.”

Ela recomenda que os pais adotem uma abordagem proativa que inclua monitorar finanças, definir um orçamento e conversar com um consultor financeiro. “As crianças trazem custos imprevistos, mudanças e responsabilidades para a vida inteira – se os pais não se prepararem de maneira adequada, as questões financeiras surgirão como questões de longo prazo”, diz Berman.

Vocês têm problemas de comunicação

Essa bandeira rosa relacionada à comunicação pode fazer com que você ou seu parceiro desrespeite o ponto de vista do outro, diminua a experiência do outro, ignore os pedidos do outro ou desconsidere suas emoções. “Todos esses sinais podem apontar para uma relutância em abrir espaço para outra pessoa em sua vida”, observa Tom Jones, APC, MAMFT, clínico da Berman Psychotherapy.

Para lidar com bandeiras rosa como essas, ele recomenda praticar técnicas de escuta reflexiva. Digamos que você esteja debatendo se seu filho deve voltar às aulas presenciais. Você é totalmente a favor, e ele não. Depois de expor seu caso, em vez de pular direto para o seu contraponto, reflita que você ouviu e entendeu a experiência deles, sugere Jones. Você pode dizer algo como “Eu ouvi você dizer X” ou “Ouvi dizer que você está sentindo X”.

Essas técnicas demonstram que compreender o seu parceiro é mais importante do que estar certo, explica ele. “Certa vez, um de meus professores me disse que, quando você está discutindo com seu parceiro, se você ganha, o relacionamento perde”, diz Jones.

Vocês não sabem mais aproveitar o tempo juntos

As cinco linguagens do amor vem de um conceito originado pelo autor Gary Chapman e incluem atos de serviço, palavras de afirmação, toque físico, oferta de presentes e tempo de qualidade. “Também podemos adicionar vários outros meios de conexão, como interesses centrais, paixões, crenças, atividades, etc.”, diz Jones.

“Relacionamentos envolvem sacrifício, levando-se a um território desconfortável para o benefício de outra pessoa”, diz Jones. Casais que lutam contra isso podem se beneficiar da prática de todas as cinco linguagens do amor.

“Tente começar com aquele ao qual você é mais resistente”, recomenda Jones. “Se você tem dificuldade com palavras de afirmação, comece a praticar elogiar as pessoas ao seu redor. Se for dar um presente, tente comprar algo para um amigo espontaneamente. Ao nos expandirmos dessa maneira, nos tornamos mais completos, abertos e flexíveis quando nosso parceiro nos pede isso.”

Quando os filhos tomam conta do relacionamento

Ter filhos geralmente cria uma grande mudança no relacionamento, observa Macadaan. “Pode haver muita pressão, culpa, tristeza e preocupação em ser um bom pai e um bom parceiro”, observa ela. Um dos pais pode se sentir rejeitado e negligenciado porque o outro está dedicando tempo aos cuidados dos filhos. Neste caso, eles podem se retirar ou armazenar raiva e ressentimento, levando à desconexão.

“Não perca de vista o fato de ser uma equipe nessa nova empreitada”, aconselha Macadaan. Sentimentos de rejeição e negligência também podem surgir em relação ao sexo. “Sem a capacidade de se comunicar, pode se tornar um ciclo vicioso que torna o sexo ainda mais estagnado”, diz o especialista.

“Muitos casais acham útil começar pequeno, com alguma forma de contato físico diário, mesmo que seja apenas um beijo, massagem nas costas ou uma sessão de pegação. Isso pode aliviar a pressão e levar a uma progressão mais natural. Requer paciência e entendimento.”

Vocês estão evitando a comunicação por medo do conflito

“Os casais desenvolvem estratégias para proteger o relacionamento, geralmente afastando-se do parceiro e não se comunicando ou tentando forçar conversas”, diz Macadaan. Mas essa dinâmica pode levar lentamente à desconexão e à falta de confiança.

Assim como é importante falar seu ponto de vista, também é necessário escutar o que seu marido ou esposa tem a dizer (Foto: Getty Images)

“É importante sentir que você pode ir ao seu parceiro e se sentir ouvida e compreendida”, ressalta ela. E se isso não estiver acontecendo, é uma bandeira cor-de-rosa. Então é preciso buscar o apoio de um terapeuta de casais e trabalhar na comunicação antes que ela se transforme em raiva e ressentimento.

Vocês não compartilham suas preocupações devido à apatia

Se você está se sentindo afastado de seu parceiro e não expressa suas preocupações, especialmente porque não se sente investido, isso é uma bandeira cor-de-rosa, diz Lauren Cook, Psy.D., terapeuta, palestrante e autora. “A apatia emocional pode ser mais uma questão de bandeira cor-de-rosa do que brigas”, diz o Dr. Cook. “Quando um casal atinge um estado de desinteresse, é algo a que se deve prestar atenção.”

Ela explica que a melhor maneira de lidar com esse problema é se inclinar para as conversas de maneira vulnerável e compartilhar quando você se sentir removido da relação. “Isso ajuda a chamar seu parceiro, em vez de isolá-lo ou confundi-lo ainda mais”, diz o Dr. Cook. “Quando somos honestos um com o outro, podemos realmente fazer algo a respeito e consertar o relacionamento.”

Em última análise, em cada relacionamento, duas pessoas estão trazendo uma mistura complexa de personalidade, experiência de vida, crenças, trauma e inúmeras outras variáveis ​​para a mesa. O fato é que todas essas variáveis ​​vão se chocar e se misturar em algum ponto. Mas identificar as bandeiras cor de rosa e depois denunciá-las é a chave para um relacionamento saudável, especialmente ao assumir o desafio de criar um filho. “O truque aqui não é tentar evitar essa verdade incômoda”, diz Jones. “É desenvolver habilidades para melhor navegá-lo.”

 

Matéria traduzida por Hanna Rahal, filha de Lydiana, repórter júnior na Pais&Filhos.