75% dos pais se preocupam com os efeitos da pandemia no desenvolvimento dos filhos, diz estudo

Os dados são de uma pesquisa realizada pela instituição de caridade britânica Family Action em parceria com a fabricante de brinquedos Fisher-Price

Resumo da Notícia

  • 75% dos pais se preocupam com os efeitos da pandemia no desenvolvimento dos filhos, diz estudo
  • Os dados são de uma pesquisa realizada pela instituição de caridade britânica Family Action em parceria com a fabricante de brinquedos Fisher-Price
  • Entre as principais preocupações dos pais estão a inteligência emocional e o desenvolvimento da fala
  • Para chegar aos resultados, os pesquisadores entrevistaram  mil pais de crianças de até 5 anos de idade no Reino Unido

Uma pesquisa realizada pela instituição de caridade britânica Family Action em parceria com a fabricante de brinquedos Fisher-Price buscou analisar o grau de preocupação dos pais com a realidade dos filhos no mundo pós-pandemia. Os dados mostraram que 75% dos pais e responsáveis temem que a pandemia tenha afetado o desenvolvimento dos filhos,  em fatores como capacidade de fala e inteligência emocional.

-Publicidade-

Segundo os dados publicados, 26% dos responsáveis estão preocupados com o desenvolvimento da fala dos filhos menores de 5 anos. Quando falamos a respeito da inteligência emocional esse número aumenta. 35% dos pais se preocupam com o impacto da pandemia de covid-19 na inteligência emocional das crianças. Para chegar aos resultados, os pesquisadores entrevistaram  mil pais de crianças de até 5 anos de idade no Reino Unido.

75% dos pais se preocupam com os efeitos da pandemia no desenvolvimento dos filhos, diz estudo
75% dos pais se preocupam com os efeitos da pandemia no desenvolvimento dos filhos, diz estudo (Foto: Getty Images)

O estudo também mostrou que 30% dos pais estão apresentando ansiedade pela separação com os filhos com a volta para a realidade presencial. 60% dos pais, ainda, disseram que a pandemia fez com que eles passassem mais tempo com as crianças do que costumavam anteriormente. A ansiedade pela separação depois desse período de conexão intensa também está presente nas crianças. 31% apresentaram sinais de ansiedade ao deixar de conviver a maior parte do tempo com os pais ou cuidadores.

Os pais também listaram outras preocupações relacionadas à pandemia e o desenvolvimento dos filhos, como: capacidade de alfabetização, de socialização e de conseguir entender as próprias emoções. Para tentar reverter esse quadro e ajudar no desenvolvimento das crianças,  65% dos pais afirmaram que conversam com os filhos e buscaram fazer brincadeiras e atividades educativas.