9° Seminário Internacional Pais&Filhos: confira tudo que rolou

A nossa nona edição, com o tema ‘A Tal da Felicidade’, contou um uma programação cheia de palestras incríveis e nós te lembramos os melhores momentos

Resumo da Notícia

  • O 9° Seminário Internacional Pais&Filhos teve como tema: "A Tal da Felicidade"
  • Pela primeira vez, foi 100% digital
  • Nós te lembramos tudo que aconteceu

Pense em algo que te traz felicidade. O que veio à sua mente? Família, dinheiro, trabalho, amizades, saúde, experiências… São muitas as razões que podem fazer alguém feliz. Mas uma coisa é certa: todos buscam, de alguma forma, a tal da felicidade. É aqui que entra a grande questão da vida (e a loucura total) depois da chegada dos filhos. E o que parece um desejo justificável e superlouvável, pode se transformar em fonte de muito conflito, medo, frustração e angústia.

-Publicidade-
O tema foi a felicidade! (Foto: Shutterstock)

Então, como alcançar essa felicidade? Aprendendo a entender e a lidar com as emoções, focando no aqui e agora. Que a felicidade não se compra em caixinha, isto todo mundo sabe. E também não tem receita pronta. Mas nesta longa jornada de construir uma família, você vai aprendendo, aos poucos, a forma de encontrar a sua felicidade. Porque, como costumamos dizer por aqui: só cria filho feliz, um pai ou uma mãe feliz.

E nada mais natural do que ter expectativas em relação ao bem-estar e felicidade deles. Todo pai ou mãe espera que os filhos cresçam saudáveis para que se tornem adultos independentes, felizes e bem-sucedidos. Mas como garantir que as crianças recebam todo afeto, atenção e se desenvolvam da melhor forma em um mundo cada vez mais digital e complexo, com tanto imediatismo e frustrações? Antes de responder qualquer uma dessas perguntas, é essencial reforçar a importância de valorizar o aqui e o agora, principalmente na relação entre pais e filhos. Nos dias de hoje, a ‘ditadura da felicidade’ vem se fortalecendo e obriga as pessoas a serem felizes o tempo todo, mesmo que seja de uma forma falsa e forçada. Uma das maiores armadilhas é acreditar que um dia você será feliz o tempo inteiro, ou esperar que esses momentos durem eternamente.

-Publicidade-

Nessa mistura de emoções que invadiu a sua vida após a chegada dos filhos, um dos caminhos para estar feliz é valorizar o presente. Parece clichê, mas funciona. O único momento que é possível ser feliz é agora. Vamos nessa juntos!

Árvore da felicidade

A árvore da felicidade foi preenchida por respostas da equipe Pais&Filhos (Foto: Divulgação)

Reservamos um espaço especial no nosso cenário para colocar mensagens da equipe da Pais&Filhos contando o que é felicidade para cada um. Veja alguma das respostas:

“Felicidade pra mim é estar com a minha filha” – Andrea Caruso, mãe de Adriana.

“Felicidade para mim é compartilhar o meu conhecimento com as pessoas” – Alexandre Felex, filho de Eusa e José.

“É poder ser autêntico e ter a segurança em tomar escolhas que fazem bem para a gente e para outras pessoas ao nosso redor” – Cecília, filha de Iêda e Afonso. o

“É como a onda do mar, forte, intensa, que invade, transborda e transforma minha vida na maior felicidade” – Dalva, filha de Maria e Gabriel.

“É viver rodeada de pessoas que me fazem bem e estar em paz comigo mesma – Yulia, filha de Suzimar e Leopoldo.

Boas-vindas

Para começar o dia do jeito que a gente gosta e com alto astral, Adriana Cury, diretora geral da Pais&Filhos, filha de Goiânia e Maurício, deu as boas-vindas ao vivo e agradeceu por todo o trabalho da equipe. “Eu tenho certeza que o dia vai ser incrível. Existe muito amor envolvido para tudo o que estamos realizando aqui hoje”, disse ela, ao começar a apresentação.

Apresentação

Adriana Cury e Andressa Simonini cumprimentaram o público e fizeram vários agradecimentos para lá de especiais! (Foto: Divulgação)

Abrindo as oito horas de transmissão ao vivo do 9° Seminário Internacional Pais&Filhos, em formato completamente novo e 100% digital, Andressa Simonini, editora-executiva, filha de Branca Helena e Igor, visitou a casa de cada família para apresentar o tema com muita energia e lembrar a importância desse sentimento na vida de todo mundo. “Felicidade é universal. A partir do momento que você nasce, cria uma família e faz parte de um grupo de pessoas que ama muito, você começa a se preocupar com a felicidade dos outros”, ela acredita.

Logo após o vídeo do tema “A Tal da Felicidade”, Andressa trouxe à tona a reflexão que deixa qualquer mãe ou pai de cabelo em pé: como ser feliz e criar um filho num mundo em que todo mundo é feliz o tempo inteiro? A resposta, segundo ela, é saber valorizar o que se tem. “Ninguém cria filho sozinho! Você precisa respeitar as suas expectativas e os seus objetivos!”, disse.

E foi assim que rolou…

Confira quem foram os palestrantes do 9° Seminário Internacional Pais&Filhos e o que eles discutiram nas mesas e palestras:

– Tiago Tatton

Tiago Tatton explicou que as emoções podem determinar as nossas escolhas no cotidiano (Foto: Acervo Pessoal)

O pai de Clara Luz, é psicólogo, pós-doutor em psiquiatria (UFRGS) e advanced teacher pela Universidade da Califórnia (USA) e cofundador da Iniciativa Mindfulness fez a palestra: “Um pé no chão e outro na emoção”;

Começamos o dia falando sobre mindfulness, e Tiago explicou como as emoções podem determinar as nossas escolhas no dia a dia. “O mundo tem um ritmo e às vezes ele tira o nosso foco e tira a nossa cabeça do lugar. O mindfulness é a habilidade e o treino de se conectar com tudo aquilo que é presente. Esse momento pode ser presente de alegria, leveza, mas também pode ser presente de dificuldades, de sofrimento. Muitas vezes ter consciência da dificuldade, ou do sofrimento, é muito bom. Não tem como não sentir isso, porque nós somos seres humanos”, ele explicou.

Ao falar sobre o que é felicidade para ele, Tiago deu uma baita lição: “É importante saborear a felicidade enquanto ela está acontecendo. Às vezes nós estamos felizes e não conseguimos nem perceber. E isso passa. É importante se conectar com tudo aquilo que é presente, que é real!”, esclareceu. Segundo ele, é muito importante ouvir os próprios sentimentos e entendê-los – e esse é um dos conselhos dele. “Tudo o que você está sentindo agora é humano e real, e tudo bem! Dê um tempo a si mesmo”.

– Miá Mello

Miá falou com bom humor sobre as cobranças da maternidade (Foto: Acervo Pessoal)

A mãe de Nina e Antônio, é atriz, humorista e apresentadora. Protagoniza o monólogo Mãe Fora da Caixa inspirado no livro best seller de Thaís Villarinho, ela participou do bate-papo intitulado: “Nasce uma família, e agora?”.

Em um bate-papo superdivertido e descontraído, Miá e Andressa divertiram todos os telespectadores ao conversarem sobre como nesse processo todo de receber um filho, fica a individualidade de homens e mulheres. A atriz abriu o coração ao contar a própria experiência e a definição de felicidade para ela, principalmente em momentos como o puerpério e a quarentena. “Felicidade é encontrar pequenos sonhos e conquistas que te deixam feliz. Não adianta colocá-la como algo grande e inalcançável”, ela acredita.

Apesar de não ter o sonho de ser mãe, Miá não conseguiu segurar a emoção ao compartilhar como a maternidade mudou a vida dela. “Eu sinto que os meus dois filhos me deram uma enraizada. Sinto uma gratidão enorme por isso, me sinto mais madura e potente por ser mãe. É como se nada fosse me parar, e não vou!”, disse, emocionada. E uma das maiores lições que ela leva dessa experiência e que faz questão de compartilhar é: não tenha culpa e peça ajuda. “A maternidade é uma troca. Você não está sozinha”, ela finalizou a conversa.

– Maria Homem

Maria Homem é uma das palestrantes do 9° Seminário Internacional Pais&Filhos (Foto: DCury)

A Psicanalista e professora na FAAP e no Núcleo Diversitas-USP, com pós-graduação no Collège Internacional de Philosophie/Universidade de Paris 8 e FFLCH-USP comandou a palestra: “Emoção: parentalidade fora do controle?”.

A psicanalista Maria Homem veio para falar sobre o que você, como mãe ou pai, pode fazer para criar filhos com mais autoestima e seguros de si. E para começar a palestra, ela trouxe uma citação de ninguém menos do que Freud. “Ele dizia que havia duas missões impossíveis: governar pessoas e educar, além de analisar”, ela explicou.

Ao longo da palestra, Maria falou um pouco sobre como lidar com camadas heterogêneas de sofrimento dos filhos, das mais simples às mais complexas. Um dos desafios apontados por ela é a questão de saber ponderar razão e emoção. E muito além disso, ela trouxe à tona a parentalidade e a sua real definição. “A gente está muito habituado a falar de maternidade e paternidade. Mas falar de parentalidade é falar sobre a função tanto do pai quanto da mãe, fora das noções de gênero”, ressaltou. Para ela, o segredo de uma boa educação é o amor. “Você educa bem quando você ama. Definimos limites com o amor, o que eu quero, o que você quer. Ter tranquilidade também faz diferença neste momento”, ela enfatizou.

– Marcos Piangers

Marcos Piangers marcou presença, como já é de costume (Foto: Fabio Jr Severo)

O pai de Anita e Aurora, nosso colunista e autor do best seller O Papai É Pop. É especialista em novas tecnologias, criatividade, inovação e uma das maiores referências sobre paternidade comandou a palestra: “Felicidade
sem referência”.

Piangers não teve o privilégio de crescer com uma figura paterna por perto. Quando descobriu que sua esposa estava grávida, precisou aprender tudo, na prática, e “do zero”. Hoje, ele é uma das principais referências paternas do país, e na sua palestra falou sobre a importância de pais participativos na educação dos filhos. “Eu acredito que quanto mais os homens participarem, de alguma forma estamos contribuindo para tornar o mundo um lugar melhor. E isso fica bem claro nas pesquisas: a vida das esposas, dos filhos e a nossa vida, dos homens, fica melhor com tudo isso!”, disse.

Ao falar sobre felicidade, contou que para ele esse sentimento está no momento e no movimento, no saber aproveitar o presente e entender que certas coisas são necessárias para construir um futuro melhor. “É o futuro, para onde estamos indo, pensar no amanhã. O que realmente é relevante para a felicidade é a qualidade e a força das nossas relações afetivas. Não é o que ganhamos, não é termos ou não um pai, é a força com que conectamos com outras pessoas”, finalizou.

– Mesa redonda: Emoções que eu vivi

Emoções que eu vivi: veja como foi nossa mesa redonda (Montagem: equipe Pais&Filhos)

Mediada por Andressa Simonini, o bate-papo começou com a definição de felicidade para cada um deles. Rodrigo Capella foi o primeiro a responder: “Hoje a felicidade tem nome: Theo, meu filho!”. Raissa Alvarenga, mãe do Chico e das Marias e fundadora da ONG Nosso Olhar também definiu o sentimento como sendo os filhos. “Felicidade é o trio pra mim, eles são tudo. É ter essa construção individual de cada um, do Chico e das Marias!”, ela disse. Já Tiago Queiroz, do Paizinho Vírgula!, derreteu o coração de todos com a sua definição: “Pra mim, é começar o dia ouvindo o bom dia dos meus filhos e terminar com o boa noite deles”. Para Débora Bastos, do Criando Crianças Pretas, a felicidade é sinônimo de família. “Vem da unidade familiar, é onde somos acolhidos e escolhidos”, disse. Micheli Machado, humorista, também definiu como sendo a unidade familiar. “Minha filha e meu marido são meus pilares, as duas metades do meu coração. É o jeito que a gente acerta, erra e se completa”, ela disse. Depois de muita conversa, o papo finalizou com muito bom humor, aprendizado e, claro: felicidade.

-Publicidade-