“A escola perfeita é aquela que nossos filhos estão felizes”, acredita mãe

Fernanda Alfano e Eduardo Souza descobriram o amor incondicional depois da chegada de Rafael e Felipe. A conexão entre eles prova que o que realmente importa é o amor e o carinho e a parceria da família

Resumo da Notícia

  • Fernanda Alfano casou-se com menos de um ano de namoro
  • A publicitária tem dois filhos
  • Ela largou a profissão para se dedicar aos filhos
(Foto: Bruno Marçal)

O desejo pela maternidade faz parte da vida de muitas mulheres – e algumas sonham com esse dia mesmo sem ter ou considerar estar num relacionamento. A publicitária Fernanda Alfano é uma delas. “Eu sempre quis ser mãe, minha vida inteira eu quis –  e independente de estar namorando ou não, e eu falava que mesmo que não casasse, eu teria filhos”, ela conta, se referindo à produção independente. Mas quem vê a família dela, que é casada com Eduardo Souza, e mãe de Rafael, de 8 anos, e de Felipe, de 7, o carinho, sintonia e amor que eles têm um pelo outro nem imagina que tudo aconteceu por pura obra do destino. Apesar de ter todas as saídas possíveis para realizar o sonho de ser mãe, nada disso foi preciso, já que Fefa – apelido carinhoso – conheceu Eduardo há mais de 12 anos por amigos em comum. “Nenhum dos dois estava querendo um relacionamento, mas quando vimos, em menos de um ano já estávamos noivos”, lembra

-Publicidade-

Mesmo com o desejo dela de voltar da lua de mel já grávida do primeiro filho, o casal resolveu esperar cerca de um ano para aumentar a família. “Eu estava numa ansiedade! Logo que completamos o primeiro ano eu já parei a pílula. Ela também começou a fazer os exames de  rotina e tomar ácido fólico. “Um dia minha mãe virou do nada e disse que eu estava grávida”, conta. O teste de gravidez deu positivo, mas não bastou para convencer Fernanda. “Resolvi fazer o exame de sangue para confirmar, em pleno dia de jogo do Brasil na copa de 2010”. Quando viu o positivo, foi aquele chororô! “Liguei pra minha mãe e pro meu marido, não aguentei esperar para contar pessoalmente. Foi muito doido, porque minha mãe sentiu!”, lembra emocionada. “Ser mãe é uma transformação muito doida, muito incrível. Nem tenho palavras!”.

A peça que faltava

-Publicidade-

Como ter filhos sempre fez parte dos planos, não demorou muito para que eles percebessem que faltava uma peça na família. Então, quando Rafa tinha cerca de um ano, eles começaram a tentar o segundo bebê. “Eu sempre quis filhos com idades próximas, para não perder a animação!”, ela se diverte contando. Com a realização de se tornar mãe, Fernanda enfrentou alguns medos e culpas, mas soube lidar muito bem com eles. “Fiquei preocupada se eu ia conseguir amar meu segundo filho tanto quanto eu amava o primeiro, mas descobri que esse amor só se multiplica”. E prova disso é que até hoje ela guarda recordações – e algumas até exibe na decoração da casa – de cada etapa da vida dos meninos.

Apesar dos perrengues de cuidar de dois bebês de uma vez, que ela lembra com muito bom humor e conta do furacão que Rafa era, a maternidade foi a melhor coisa que poderia ter acontecido na vida dela. “É impressionante o tanto que eles me trouxeram, o tanto que eu me tornei mais forte, e quero ser ainda melhor a cada dia eles mudaram a minha vida para melhor em todos os sentidos”.

Promovida a mãe

Logo na primeira gestação ela, que já havia trabalhado em agências de publicidade e em uma escola infantil como professora de teatro e na área de marketing, resolveu largar tudo para se dedicar à maternidade. “Eu queria participar de todos os momentos da primeira infância deles, e como o Eduardo é bancário, pra ele é pouco flexível – e um de nós tinha que ser”.

Depois de recusar o convite da ex-vizinha, Érika Nalli, para criar um blog de maternidade, Fernanda voltou a considerar a proposta quando o caçula começou a frequentar a escola. “Eu quero fazer alguma coisa, mas que permitisse estar perto dos meninos também. E o blog me veio como uma oportunidade de juntar tudo”, conta. O nome escolhido para o blog, que é Promovida a Mãe, não poderia fazer mais sentido, já que a maternidade é a grande paixão das duas.

(Foto: Bruno Marçal)

Na prática

A mudança de profissão caiu como uma luva para a rotina da família, que mora em um espaçoso apartamento em Moema, em São Paulo. Assim, Fefa consegue acompanhar os meninos durante a rotina – que, inclusive, começa cedo! Às 6h30 estão todos de pé, mesmo os meninos estudando à tarde. A parte da manhã é aproveitada com muitas brincadeiras e atividades extracurriculares como natação, futebol e inglês – o último é o único ‘obrigatório’. “O inglês não tem conversa, tem que fazer. Mas as outras atividades eles que escolhem”. E é só andar pelo quarto e brinquedoteca deles para saber que o futebol é a preferida. Flamenguistas roxos, além da roupa de cama vermelha e almofadas do time, o tapete do quarto é um campo – e ainda tem a coleção de bolas e o guarda-roupas recheado de camisetas, bermudas e chuteiras.

De olho no futuro

Preocupados e focados na educação dos filhos, Fernanda e Eduardo fizeram questão de preparar um espaço na brinquedoteca de casa com escrivaninha e espaço de estudos para os dois. A mesa, inclusive, é ajustável e acompanha o crescimento de Rafael e Felipe.

Já que a escola fica a poucos quarteirões do prédio da família, ela leva os meninos a pé e aproveita a tarde para tocar suas coisas. “Assim que eles chegam da aula, vão direto fazer a lição de casa – é essa a rotina. Eu não preciso me preocupar, eles são independentes e responsáveis. Criamos o hábito e a rotina de fazer a lição e eles não me dão trabalho nenhum”, se orgulha.

Volta às aulas

Mesmo dando aquela relaxada nos horários e refeições durante as férias (e tudo bem!), o segredo de Fefa, que é superorganizada, é começar ajustar tudo algumas semanas antes da volta às aulas. “Aproveitamos para regular o relógio biológico deles, ajustando sono e alimentação. Depois organizamos os materiais escolares, que amamos! Etiquetamos tudo junto e eles voltam superanimados para a escola”.

E além do que os meninos aprendem em sala de aula, os pais prezam muito pelos valores que ensinam diariamente. “O respeito ao próximo, às diferenças, falar sempre a verdade, ser íntegro…”, ela lista. “Tento sempre mostrar o lado bom das coisas também, mesmo quando estou ferrada”, se diverte. “Mostro que a vida nem sempre é como a gente quer, mas que depende de nós fazer o melhor que podemos em cada situação”, ela conta.

Coração cheio

Ao andar pela casa, é fácil perceber que o casal vive tudo o que sempre sonhou e mais um pouco! – e que a vida deles é guiada pela felicidade dos filhos. Esse é o verdadeiro termômetro do lar. São porta-retratos, desenhos e lembranças feitas à mão pelos filhos que decoram cada cantinho do apartamento. Isso, sem contar a caixa de cartas e recordações que Fefa mantém com itens desde o teste de farmácia que deu positivo, aos primeiros desenhos, bilhetes e até uma caixa para guardar os dentes de leite de cada um deles.

“Vê-los felizes é a minha realização de vida. Minha família é tudo e mais um pouco. Dou minha vida por eles e faço o que for preciso pela minha família. É um amor inexplicável”, ela se declara.

 

 

 

-Publicidade-