“A professora confiscou o celular da minha filha e usou por uma semana como se fosse dela”

Uma mãe viralizou no Reddit depois de afirmar que a professora de sua filha confiscou seu telefone por uma semana, quebrou a tela e parece ter tentado usá-lo com sua própria conta

Resumo da Notícia

  • Uma mãe se revoltou com a professora da filha e publicou seu relato no Reddit
  • A professora confiscou o celular da adolescente e usou como se fosse dela
  • Agora a mãe está pensando em denunciar a mulher após o ocorrido

Quando se trata da escola, os professores têm o direito de disciplinar as crianças adequadamente se elas se comportarem mal na sala de aula. Como parte disso, eles podem confiscar itens que causam problemas – como celulares. No entanto, eles geralmente têm que devolvê-los no final do dia antes de os alunos irem para casa.

-Publicidade-

Mas uma mãe alegou que a professora de sua filha pegou seu telefone e não o devolveu por uma semana inteira. Para piorar a situação, quando eles finalmente conseguiram o telefone de volta, ela contou que a tela estava quebrada – e parecia que a professora estava usando o dispositivo.

Compartilhando sua história no Reddit, a mulher explicou tudo: “Meu marido e eu temos uma filha que chamaremos de Hannah, 15. Na semana passada, conversei com Hannah e ela disse que uma de suas professoras, vamos chamá-la de Sra. K.,  confiscou o celular da minha filha, mas Hannah disse que colocaria no bolso, a mulher então não devolveu o celular a semana toda”.

A filha percebeu que o celular não estava igual a quando deixou com a professor
A filha percebeu que o celular não estava igual a quando deixou com a professora (Foto: Getty Images)

“Todos os dias depois que Hannah me contou sobre o ocorrido, ela pediu de volta o celular e a Sra. K se recusou. Na quinta-feira, enviei um e-mail para ela perguntando quando podemos esperar o telefone de volta e que eu gostaria que ela o recebesse para quando ela trabalhar neste fim de semana. Mas não obtive resposta. Uma semana inteira disso se passou, e hoje, Hannah entrou no meu carro e me disse que perguntou e a Sra. K nem respondeu. Ela simplesmente a ignorou. Perdi a paciência e entrei na escola. Encontrei a Sra. K. do lado de fora da sala de aula e disse a ela que era hora de me devolver o telefone.”

A professora disse que Hannah precisava parar de usar o telefone na aula – e a mãe concordou. No entanto, as coisas ficaram um pouco agitadas depois disso. “Eu fiz uma cena, alunos e professores estavam olhando, mas ela cedeu e disse que pegaria o telefone de seu escritório e voltou com ele cerca de três minutos depois”, continuou ela.

“Eu me senti uma idiota por não checar o telefone quando ela o entregou para mim. Eu não devolvi o telefone para Hannah da minha bolsa até que ela terminasse suas tarefas de hoje e, alguns minutos depois ela voltou pra mim em pânico. Duas coisas estavam erradas. Uma, a tela estava quebrada e não estava antes. Segundo, ela teve que fazer login novamente em seu ID Apple, o que achamos estranho. Ela então olhou para as configurações da conta e viu uma segunda Apple ID, com o nome completo e avatar da Sra. K.”

“Achamos que ela pode ter mesclado os dados ou algo assim também porque há contatos que não reconhecemos no telefone. Eu fiquei enfurecida, disse a Hannah que ela não pode usar o telefone por enquanto porque estou preocupada se a professora tem acesso a qualquer coisa da parte dela, e enviei um e-mail para ela exigindo uma explicação. Não houve resposta.”

A mãe acrescentou que agora está pensando em denunciar a professora a um administrador da escola e fazê-la pagar pelo conserto da tela. No entanto, isso poderá causar mais problemas para sua filha – e é possível que a professora tenha confundido o telefone com o dela. Mais de 700 pessoas responderam ao post, compartilhando seus pensamentos sobre a situação.

Uma pessoa disse: “Denuncie isso. O professor levou o telefone por uma semana. Danificou-o e teve a ousadia de mexer nele como se fosse o dono. E eles até se recusaram a entregá-lo a você inicialmente.” Outro respondeu: “Depois de uma semana, o professor teria que carregá-lo também. Isso não foi um acidente”.

Um terceiro acrescentou: “Eu dei aula em vários lugares. Itens pessoais confiscados, especialmente telefones, foram levados ao escritório o mais rápido possível. Provavelmente o professor não estava seguindo as regras da escola segurando o telefone consigo”.