Absurdo! Mãe e padrasto são presos por torturar criança de 6 anos

O menino era amarrado com um lenço na cama e obrigado a tomar remédios para dormir, em Canoas, no Rio Grande do Sul

Resumo da Notícia

  • Mãe e padrasto foram presos por torturar menino de 6 anos de idade
  • A criança ficava amarrada na cama e era dopada pela mãe
  • A mulher planejava abandonar o menino

Na manhã desta quarta-feira, 18 de agosto, mãe e padrasto foram presos pela Polícia Civil por serem suspeitos de maltratar um menino de 6 anos de idade em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

-Publicidade-

De acordo com o portal G1, a mulher, de 28 anos, foi presa em Canoas e o homem, de 24, em Campo Bom. Segundo as investigações, a criança era mantida amarrado com lenços na cama e sofria agressões e tortura.

O menino ficava amarrado na cama com um lenço (Foto: Reprodução/ G1)

O delegado responsável pelo caso, Pablo Rocha, disse: “Essa criança era submetida a castigos bárbaros, tal como queimar a mão no fogo, ficar amarrada por horas a fio e por vários dias a cama, em casa, como forma de repreensão por suposto mau comportamento“. A criança foi ouvida pelos policiais e confirmou as práticas de tortura cometidas pela mãe e pelo padrasto.

No local em que a mãe foi presa, investigadores encontraram o lenço que era usado para amarrar os braços do menino na cama. O delegado regional, Mário Souza, falou: “Esse lenço que foi usado pra amarrar e torturar essa criança por muitas horas. Também foi encontrado o remédio, possivelmente utilizado em gotas pra criança dormir”

Pablo Rocha contou: “Essa mãe foi ouvida e inicialmente negou que ela tivesse praticado, tentou atribuir ao namorado. Obtivemos conversas entre eles que confirmaram esses fatos. A prova é bastante robusta, e obtivemos mais provas hoje no mandado de busca e apreensão. Acreditamos que com essas duas prisões de hoje [18 de agosto] conseguimos chegar antes e conseguimos evitar que uma tragédia acontecesse aqui em Canoas”.

A polícia chegou ao casal após ter recebido denúncias anônimas. Nas conversas entre os suspeitos a mãe disse que quase matou a criança e que vai dar remédio para dopar e deixar ela amarrada. Em outra conversa, é possível ver a mãe contando o plano para abandonar o menino em um hospital.

Veja os prints da conversa:

A mãe planejava abandonar o filho em um hospital (Foto: Reprodução/ G1)