Absurdo! Mulher é presa após fingir ser mãe de recém-nascido em hospital

Caso foi descoberto após a equipe de enfermagem percebeu que a mulher não era a mesma que deu entrada na unidade. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Montes Claros e as investigações devem ser concluídas em até 10 dias

Resumo da Notícia

  • Caso foi descoberto depois que a equipe de enfermagem percebeu que a mulher não era a mesma que deu entrada na unidade
  •  Segundo a polícia, ela confessou ter emprestado os documentos para a mãe, que seria amante do marido
  • O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Montes Claros e as investigações devem ser concluídas em até 10 dias

Nesta segunda-feira, 14 de dezembro, Em Montes Claros, no Norte de Minas uma mulher, de 33 anos, foi presa após se passar por mãe de um bebê em hospital. A mentira foi descoberta após uma equipe de enfermagem do local perceber que a mulher não era a mesma que deu entrada na unidade e realizou uma cesariana.

-Publicidade-
Mulher é presa ao se passar por mãe de recém-nascido em hospital de Montes Claros (Foto: Getty Images)

Segundo o boletim de ocorrência, a médica pediu para avaliar a cirurgia da paciente por conta da suspeita e constatou que ela não apresentava cicatriz da cesariana. Segundo o G1, a Polícia Militar foi chamada na unidade e a mulher confessou que não era a mãe do recém-nascido e que o bebê era fruto de um relacionamento extraconjugal do marido.

A mulher ainda disse para a Polícia Milita, que sofre sofre de esquizofrenia e não pode ter filhos, por esse motivo, ao saber que a amante do marido estava grávida, os três planejaram a ação. A mãe da criança teria dado entrada no hospital usando os documentos da suspeita.

A mulher não mora em Manaus, mas combinou com os outros dois cumplices a viagem dela de avião para Montes Claros e após dar à luz, ela teria retornado para a cidade de origem. “A mulher foi presa por ‘parto suposto’. Se for comprovado, que ela de fato é esquizofrênica, ela poderá ser solta. Os trabalhos de investigação vão continuar no sentido de identificar onde estão os pais biológicos da criança. Como a mãe biológica entrou com a documentação de outra pessoa, ela cometeu falsidade ideológica, mas irá responder pelo crime de ‘parto suposto’. O que acontece com a criança agora deverá ser definido pelo Conselho Tutelar do município, que já foi acionado pelo hospital”, disse o delegado Jurandir Rodrigues.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil e a mulher foi levada para o presídio de Itacambira, pois segundo a polícia ‘há provas suficientes para mantê-la presa’. O marido ainda não foi localizado. Segundo o Delegado, os funcionários da Unidade de Saúde prestarão depoimento e as investigações devem ser concluídas em até 10 dias.