Adolescentes criam robôs para facilitar a rotina de idosos

Alguns alunos de robótica e programação tiveram ideias incríveis para ajudar pessoas mais velhas no dia a dia

Resumo da Notícia

  • Alunos da escola CodyBuddy criaram robôs incríveis
  • As criações visam facilitar a rotina de idosos com medicamentos e muito mais
  • Desde incentivo ao reflorestamento até um circuito robótico para proteger idosos

Alunos de robótica e programação tiveram a brilhante ideia de criar robôs que ajudassem idosos na rotina do dia a dia. Desde incentivo ao reflorestamento até um circuito robótico para proteger idosos, os alunos entre 9 a 14 anos tiveram a empatia de facilitar a vida dos mais velhos, com base nas aulas que tiveram.

-Publicidade-

Um dos destaques é o Rafael Sampaio, de 14 anos, que desenvolveu um robô capaz de ajudar pessoas a tomarem remédios de uma maneira super divertida: dançando! Ele criou o projeto usando peças de Lego que dançam, enquanto levam os medicamentos até a pessoa.

Eu construí o robô com peças de Lego. Eu o programei com uma base em blocos parecida com a plataforma Scratch. A ideia surgiu por causa de um robô que meu primo tinha, que era um robô de Star Wars que dançava também”, explica Rafael. Outro destaque que merece atenção é a criação de Luisa Noronha de 11 anos, que criou um robô que ajuda a evitar acidentes domésticos.

Luisa criou um robô que ajuda a evitar acidentes domésticos
Luisa criou um robô que ajuda a evitar acidentes domésticos (Foto: Reprodução/Só Notícia Boa)

“Se a pessoa esqueceu o fogão ligado em casa, por exemplo, o circuito que eu criei vai avisar se existe variação de temperatura ou fumaça e apitar”, explica a menina. E Luisa ainda pensou em adaptar a criação dela! “Como ele tem um painel, uma pessoa surda consegue ver pela letra exibida na tela, e quem não enxerga consegue saber as variações de temperatura pelos sons que são emitidos”, explicou.

Todos os alunos fazem parte da turma de programação da escola CodyBuddy, que incentiva o desenvolvimento das crianças de forma lúdica e ajuda elas a serem mais éticas, empáticas e proativas. Segundo Susie Mendonça, Head de Marketing da CodeBuddy, “Crianças conseguem ser engraçadas e sensíveis ao mesmo tempo, têm a imaginação fértil e parecem viver no mundo mágico da Disney, todo mundo sabe. Mas muitos não têm ideia que com essa imaginação, todas elas podem ir longe, inclusive, sair do campo imaginário e entrar no mundo real, impactando uma sociedade”.