Advogado da mãe de Henry Borel entra com pedido de liberdade à justiça

A requisição está em processo de análise pelo ministro Edson Fachin

Resumo da Notícia

  • Monique Medeiros está presa desde maio
  • O advogado da mãe entrou em pedido de liberdade à justiça
  • Henry Borel morreu em março deste ano

Nesta última terça-feira, 23 de novembro, o advogado de Monique Medeiros, mãe de Henry Borel, entrou com pedido na justiça de liberdade. Afinal, segundo a equipe de defesa, a prisão decretada à ela foi de forma ilegal, por não haver audiência de custódia para converter a prisão temporária. A requisição está em processo de análise do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin.

-Publicidade-

Monique foi acusada por estar envolvida no falecimento do filho, Henry Borel, de 4 anos. Ela e o companheiro, Jairo de Souza Júnior foram acusados por tirar a vida da criança.

Monique e Henry Borel
Monique e Henry Borel (Foto: Reprodução / Instagram / R7)

Recentemente, Leniel Boral, pai de Henry Borel, publicou um texto no perfil do Instagram em forma de carta aberta para o filho, dizendo que quem deveria ter cuidado dele preferiu vendê-lo para pagar as contas pessoais, interesse financeiro e o transformou em poupança.

O pai começa escrevendo: “Henry, papai segurava você e dizia: ‘Esse príncipe vai ser o melhor menino do mundo. Esse menino vai ser melhor do que qualquer um que conhecemos! Mas dois monstros não deixaram te ver crescer. Interromperam sua vida a sangue frio, sem nenhum remorso, sem nenhum sentimento por uma criança inocente.”.

Na sequência Leniel faz uma acusação que parece endereçada à ex-mulher, Monique Medeiros, que vivia com Jairinho: “No ponto mais lindo deste percurso, onde prevalecia a doce inocência de uma criança que só pedia amor, quem tinha a obrigação de lhe proteger (…) optou em lhe ‘vender’ para pagar as contas pessoais, interesses financeiro, transformou-te em uma poupança. Não deixaram você ser você. Um príncipe, um anjo, o amor personificado na criança mais linda que conheci”, escreveu.

Leniel Borel também fez desabafo sobre primeiro Dia das Crianças sem o filho
Leniel Borel também fez desabafo sobre primeiro Dia das Crianças sem o filho (Foto: Reprodução/Instagram)

Relembre o caso

Henry morreu no dia 8 de março, na Barra de Tijuca, Zona Oeste do Rio, após dar entrada no hospital com ferimentos graves que indicavam agressão e tortura. O menino passava o fim de semana com a mãe, Monique Medeiros, e o padrasto, o ex-vereador Jairo Souza dos Santos Júnior, conhecido como Dr. Jairinho. Os dois são acusados de homicídio triplamente qualificado e tortura, além de coação de testemunhas, e enfrentam julgamento na justiça.