Alerta! Estudo aponta que covid-19 pode invadir o cérebro

Os pesquisadores explicam, que estudos indicam a possibilidade de o Sars-CoV-2 conseguir invadir o cérebro, mas que o tema ainda não foi totalmente esclarecido

Resumo da Notícia

  • Os dados indicam a possibilidade da covid-19 conseguir quebrar a barreira protetora cerebral e se instalar nas células nervosas
  • O estudo foi divulgado no site de publicações científicas BioRxiv e ainda não foi revisado por outros cientistas
  • A pesquisa atual não encontrou evidências de uma resposta imunológica do corpo para tentar evitar o problema

O coronavírus pode chegar ao cérebro humano? É o que mostra um estudo feito por pesquisadores americanos, que realizaram uma série de testes com minicérebros artificiais, ratos e tecidos neurais de pacientes que morreram devido à doença.

-Publicidade-
O estudo foi divulgado no site de publicações científicas BioRxiv (Foto: Getty Images)

Os dados indicam a possibilidade de que o vírus da covid-19 consiga quebrar a barreira protetora cerebral e se instalar nas células nervosas. O estudo foi divulgado no site de publicações científicas BioRxiv e ainda não foi revisado por outros cientistas.

Os pesquisadores explicam, que estudos anteriores indicaram a possibilidade de o Sars-CoV-2 conseguir invadir o cérebro, mas que o tema ainda não foi totalmente esclarecido. Por isso, o grupo resolveu realizar uma análise que fosse a mais ampla possível. “Usamos três abordagens independentes para investigar a capacidade de o vírus infectar o cérebro”, escreveram os pesquisadores, liderados por Akiko Iwasaki, imunologista da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, segundo o New York Times.

-Publicidade-

Processo de estudo

Os pesquisadores coletaram dados de três fontes para escrever a pesquisa. A primeira parte das observações usou tecido cerebral de uma pessoa que morreu de Covid-19. Em seguida, os cientistas criaram um modelo de infecção que utilizou camundongos. Por fim, agrupamentos de células cerebrais foram observadas, seu objetivo era o de imitar a estrutura tridimensional do cérebro.

O coronavírus, por outro lado, explora o mecanismo das células cerebrais para se multiplicar, mas não causa nenhum dano direto. Em vez disso, elimina o oxigênio destinado às células adjacentes, fazendo com que morram. A pesquisa atual não encontrou evidências de uma resposta imunológica do corpo para tentar evitar o problema. “É uma espécie de infecção silenciosa. Este vírus tem muitos mecanismos de evasão”, disse Akiko Iwasaki.

Ainda não se sabe exatamente como o vírus chega ao cérebro, mas alguns especialistas indicam que isso pode ocorrer por meio do bulbo olfatório – que regula o cheiro – pelos olhos ou até mesmo pela corrente sanguínea.