Alimentação: entenda por que as bebidas vegetais podem ser uma ótima opção para a nutrição do seu filho

Oferecer alimentos in natura e produtos com formulações simples e enriquecidas com nutrientes é um bom caminho para crianças que estão formando o paladar

Resumo da Notícia

  • Oferecer alimentos in natura para as crianças que estão formando o paladar é uma boa opção
  • Bebidas vegetais ou enriquecidas são uma forma de inserir o alimento na rotina dos pequenos
  • A fase pré-escolar é a ideal para moldar os hábitos deles

As crianças que têm entre 2 e 6 anos de idade estão na fase pré-escolar e esse momento deve ser acompanhado de perto pelos pais, já que é nessa fase que seu filho começa a formar os hábitos. As bebidas feitas com vegetais são uma boa forma de inserir o alimento no dia a dia das crianças.

-Publicidade-
As bebidas vegetais ajudam a criar hábitos alimentares na primeira infância (Foto: Divulgação)

Durante esse período de 2 a 6 anos eles perdem o apetite e ficam mais seletivos quanto aos alimentos que vão ingerir. Isso acontece porque as crianças nessa faixa etária crescem menos e ganham menos peso do que durante os dois primeiros anos de vida. Muitas vezes, os pais acham que essa inapetência é um problema de saúde e não fisiológico, é muito comum que eles levem as crianças ao pediatra e falem que o filho não come como costumava.

Esse momento requer uma atenção tanto nos aspectos nutricionais, quanto nos comportamentais, já que se não forem corrigidos, podem aparecer na criança quando ela se tornar adulta. É sempre importante lembrar que o paladar infantil tem uma inclinação ao doce, por ser um alimento inato  ao ser humano e que não precisa de incentivo.

(Foto: iStock)

“Oferecer às crianças alimentos in natura nesta fase é essencial para que o aporte dos principais nutrientes seja alcançado, como também exista a educação do paladar estimulado pelos 5 sabores: doce, amargo, azedo, salgado e umami. Minimizar o consumo diário de alimentos pouco nutritivos, muito calóricos e atraentes também podem comprometer a boa conduta alimentar na infância, por isso é importante ter conhecimento sobre a classificação deles na participação do cardápio dos pequenos”, explica Alessandra Luglio, nutricionista e Consultora Científica da A Tal da Castanha.

Existe no país o Guia Alimentar Brasileiro, que é documento que tem como finalidade direcionar as escolhas alimentarem da população brasileira para incentivar uma alimentação mais saudável, ele ainda fala o que são alimentos in natura, minimante processados, processados e ultra processados.

Classificação dos alimentos:

  • Processados: são fabricados pela indústria com adição de sal, açúcar e outras substâncias de uso culinário
  • Ultraprocessados: são formulações industriais feitas de substâncias extraídas de alimentos, como óleo, gordura, açúcar, amido, nutrientes isolados e/ou sintetizados em laboratório que são nomeados como aromatizantes, corantes, realçadores de sabor e outros aditivos.
  • In natura: Alimentos in natura são aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais (como folhas e frutos ou ovos e leite) e adquiridos para consumo sem que tenham sofrido qualquer alteração após deixarem a natureza
  • Minimamente processados: são alimentos in natura que, antes de sua aquisição, foram submetidos a alterações mínimas. Exemplos incluem grãos secos, polidos e empacotados ou moídos na forma de farinhas, raízes e tubérculos lavados, cortes de carne resfriados ou congelados e leite pasteurizado.

“Na fase pré-escolar, por exemplo, é importante a oferta de alimentos ricos em ferro, cálcio, vitamina A e D, zinco e fibras. Alimentos fortificados, sem adição de aditivos artificiais, podem fazer parte e funcionam como uma ótima estratégia para aumentar o aporte de nutrientes.”, diz Luglio. “O estudo Nutri-Brasil Infância, avaliou a ingestão de nutrientes em crianças com idade de 2 a 6 anos que frequentavam escolas públicas e privadas abrangendo todas as regiões do Brasil e encontrou como resultado uma média de 45% na prevalência da inadequação do cálcio entre as crianças de 4 a 6 anos.”

Escolhendo os produtos

Bebidas à base de ingredientes naturais, minimamente processados, livres de aditivos sintéticos, com baixo teor de açúcar já são uma realidade no Brasil. A Tal da Castanha, por exemplo, lançou novas bebidas vegetais direcionadas para o público infantil, O produto não usa nada de origem animal e só tem ingredientes naturais e orgânicos, sendo 100% vegetal, sem soja ou OGM e enriquecido com cálcio, fibras e ótimos nutrientes.  Além de nutrir, a bebida passa a ter um papel relevante na construção de um paladar mais limpo e menos estimulado pelo açúcar.