Anemia: o que é, 12 sintomas comuns, como prevenir, causas e tratamento

Se a criança apresenta palidez, anda apática e não tem ânimo para brincar, correr ou praticar esportes, é importante suspeitar de anemia! Tire as principais dúvidas sobre a doença e como prevenir

Resumo da Notícia

  • A anemia é uma deficiência dos níveis de hemoglobina
  • Uma das principais causas da doença é a má alimentação
  • Se houver qualquer suspeita de que a criança está com anemia, é muito importante buscar por um pediatra

Anemia é papo sério e merece a atenção da família! Se a criança apresenta palidez, anda apática e não tem ânimo para brincar, correr ou praticar esportes, é preciso ficar de olho aos sinais e consultar um pediatra para tirar a condição da reta!

-Publicidade-

De acordo com Ana Carolina Cardoso, médica especialista em hematologia e transplante de medula óssea, que integra o OncoCenter Dona Helena, a doença pode afetar de diversas formas: “Em crianças, a anemia está associada ao retardo do crescimento, comprometimento da capacidade de aprendizagem (desenvolvimento cognitivo), da coordenação motora e da linguagem; efeitos comportamentais, como a falta de atenção e fadiga”, explica.

A anemia traz como consequência a falta de oxigenação em tecidos ou órgãos do corpo (Foto: Shutterstock)

O que é anemia?

A anemia é uma deficiência dos níveis de hemoglobina, uma substância presente nos glóbulos vermelhos, que faz com que o sangue transporte oxigênio para todas as partes do nosso corpo. Como consequência, os tecidos e órgãos do corpo podem sofrer com a falta de oxigenação, causando diferentes sintomas.

 

Causas de anemia

A anemia é causada principalmente pela má alimentação e, consequentemente, pela deficiência de nutrientes como ferro, vitamina B12 e ácido fólico. Mas, segundo a Dra. Ana Carolina Cardoso, pode ser ocasionada também por doenças da medula óssea, que comprometem a produção dos glóbulos vermelhos, sendo uma delas as leucemias.

Sintomas

  • Cansaço
  • Palidez da pele e mucosas
  • Palpitações
  • Sonolência
  • Formigamento nas mãos e nos pés
  • Falta de apetite
  • Alteração do paladar
  • Dor de cabeça
  • Falta de ar
  • Dor no peito
  • Desejo por comer coisas estranhas
  • Nas crianças, dificuldade de aprendizado e concentração

É possível curar a anemia com alimentação?

Inserir alimentos ricos em ferro ajudam bastante, como carnes vermelhas, peixes, beterraba, cereais, gema de ovo, nozes e amêndoas, feijão, tofu e verduras escuras. Mas, segundo o Dr. Claudio Lenn, pediatra, nosso colunista e pai de Fernando, Beatriz e Silvia, “a medicação (suplementação de ferro) é capaz de fornecer quantidades mais elevadas para o tratamento da anemia ferropriva do que os alimentos”.

Ingerir leite após as refeições pode prejudicar a absorção de ferro?

Sim, pode. Segundo o pediatra, felizmente esse hábito é cada vez menos comum entre as crianças. “A tendência atual é que os alimentos sejam oferecidos nos seus horários de rotina, separadamente: alimentos salgados, frutas e leite e derivados.

Se os pais suspeitarem de que pode ser anemia, é muito importante procurar por um especialista (Foto: iStock)

Como prevenir anemia

Apesar de nem todos os tipos de anemia terem prevenção, é possível driblar a situação em alguns casos. “As causas mais comuns de anemia podem ser prevenidas com uma dieta equilibrada em nutrientes e com acompanhamento médico regular”, destaca Ana Carolina Cardoso.

Diagnóstico e tratamento de anemia

Quando há suspeita de anemia, é necessário levar a criança ao médico, fazer acompanhamento nutricional e uma investigação completa para passar (bem!) por esse problema. “Anemia não é um diagnóstico final, mas uma consequência. Uma vez que ela foi diagnosticada, o médico deve investigar a causa”, explica a Dra. Regina Biasoli, hematologista do Alta Excelência Diagnóstica.

O tipo de exame que o médico pode pedir varia de criança para criança, dependendo do caso, do relato dos pais e do histórico do paciente. Em alguns quadros, o tratamento pode incluir a reposição dos nutrientes através de medicamentos, além da mudança alimentar, sempre acompanhados por um profissional.

De olho na anemia falciforme!

A doença hereditária, passada de pais para filhos, afeta o formato dos glóbulos vermelhos, deixando-os como se fossem uma foice. As células, que possuem alteração em sua membrana, podem romper facilmente, causando anemia. “Um glóbulo vermelho é uma célula do sangue que normalmente tem o seu formato arredondado, já na anemia falciforme, essa célula tem um formato achatado e semelhante a uma lua crescente, ou uma ‘foice’, explica Dra. Francielle Tosatti, Pediatra da Sociedade Brasileira de Pediatria, especialista em em Emergências Pediátricas pelo Instituto Israelita Albert Einstein. Veja mais sobre anemia falciforme.