Angélica fala sobre a educação do filhos: “Sou uma mãe muito atenta”

Em bate-papo com Thais Fersoza, a apresentadora mãe de Joaquim, de 15 anos, Benício, de 12, e Eva, de 7, acredita não ser linha dura com os filhos

Resumo da Notícia

  • Em bate-papo com Thais Fersoza, a apresentadora contou como está sendo encarar a adolescência do mais velho
  • A apresentadora Angélica, mãe de Joaquim, de 15 anos, Benício, de 12, e Eva, de 7, acredita não ser linha dura com os filhos
  • Para Angélica, o diálogo é sempre a melhor solução, principalmente quando o assunto requer mais responsabilidade

A apresentadora Angélica, mãe de Joaquim, de 15 anos, Benício, de 12, e Eva, de 7, acredita não ser linha dura com os filhos. Durante um bate-papo com Thais Fersoza, a mãe contou como está sendo encarar a adolescência do mais velho. “Antes da pandemia, Joaquim estava muito nessa onda de ir para festas. Eu deixava ir. Aí vinha: ‘Ah, mas os meus amigos chegam 3 ou 4 horas da manhã’. E aí eu explicava que ele não ia chegar nesse horário”, disse.

-Publicidade-
Eles são pais de Joaquim, de 15 anos, Benício, de 12, e Eva, de 7 (Foto: Reprodução / Instagram @angelicaksy)

Para Angélica, o diálogo é sempre a melhor solução, ainda mais quando o assunto requer mais responsabilidade, como é o caso do consumo de bebidas alcoólicas. “Todas essas festinhas têm bebida. E aí que a gente entra na história da conversa, de falar: ‘Olha, isso faz mal dessa forma. Afeta o seu organismo desse jeito’. Conversamos muito isso com o Joaquim. Benício está com 12 e ainda está muito tranquilo. São impressionantes essas festas. Na minha época não eram assim”, contou.

A mãe também disse que Luciano Hulk fala tranquilamente sobre sexo com o filho. “Ele fica mais à vontade de falar e eles já conversam mesmo sobre isso. O resto, namoradinha, bebida etc., eu falo também. Hoje em dia, os jovens já têm a informação. Está na palma da mão. Então, é melhor ele conversar com a gente do que falar com uma pessoa que não conhece e vai passar a informação para eles da forma que quiser. Temos que falar. Esse negócio de ficar cheio de dedos não dá. A internet está aí e a gente está muito atento a isso”.

-Publicidade-

Angélica também comentou sobre as dificuldades de manter os filhos em isolamento durante a quarentena. “Está duro. Nos primeiros meses, eles entenderam. Quando deu três meses, começaram a dar uma surtada, do tipo: ‘Mãe, o fulano de tal já pegou, está imune’ ou ‘Fulana fez o teste, pode vir aqui porque está testada’. Essas coisas meio: ‘E aí? Vamos dar uma liberada?’. E eu fui muito radical porque meu pai e minha mãe estão morando aqui comigo. Agora, nos últimos 15 dias, a gente liberou de dois amigos, que já tinham tido até, virem aqui brincar. De máscara”, alegou.

Confira o vídeo:

-Publicidade-