Angélica relembra em vídeo trauma de infância: “Meu pai levou vários tiros”

Apresentadora explicou que participou do programa de Chacrinha após o humorista se tornar a única distração para lidar com um assalto sofrido pela família

Resumo da Notícia

  • Angélica contou que o primeiro contato na carreira artística foi devido uma situação traumática na infância
  • Ela contou que participou do programa de Chacrinha após o humorista se tornar a única distração para lidar com um assalto sofrido pela família
  • Angélica ainda reagiu a um vídeo em que aparece "prevendo" que teria 3 filhos durante uma entrevista em 1997

Angélica contou que o primeiro contato na carreira artística foi devido uma situação traumática na infância. Apresentadora relembrou os momentos marcantes da carreira na TV Globo e contou que participou do programa de Chacrinha após o humorista se tornar a única distração para lidar com um assalto sofrido pela família, em que o pai foi alvo de tiros.

-Publicidade-
Angélica atualmente está casada com Luciano Huck (Foto: Reprodução / Instagram @angelicaksy)

“Quando eu era pequena, com 4, 5 anos de idade, teve um assalto na minha casa e meu pai levou vários tiros. Eu tava na sala, ele quase morreu. Eu fiquei muito traumatizada, não gostava de gente, não gostava de ver ninguém, não queria ninguém. E o único programa que eu gostava de assistir era o Chacrinha, e aí um dia ele convidou na televisão para um concurso da ‘criança mais bonita do Brasil’, e eu participei do concurso. Ganhei a ‘garota mais bonita do Brasil’ aos 4 anos de idade, depois com 5 anos de novo. E ali eu comecei a fazer televisão”, disse Angélica ao GShow.

Angélica, que atualmente está casada com Luciano Huck, com quem tem Joaquim, Benício e Eva, também reagiu a um vídeo em que aparece “prevendo” que teria 3 filhos durante uma entrevista em 1997.

-Publicidade-

“Eu sempre falei que ia ter 3 filhos e que ia ter, adotar um quarto filho. Por que como eu fazia programa infantil e ia muito em orfanato, creche, hospitais e tal, de alguma forma aquilo me dava uma angústia, eu não sabia muito como lidar com aquele sentimento. Aí eu falava: ‘Ah, um dia eu quero adotar, um dia eu quero cuidar dessas crianças’, eu falava isso. Hoje eu deixo rolar, acho até que pode acontecer de eu adotar uma criança um dia, mas isso não é uma questão que eu quero, que eu busco, não”, contou.

Ao relembrar os momentos, a apresentadora se divertiu ao ver a própria aparência jovial no começo dos anos 2000 e, ainda fez comentários sobre as pressões estéticas que sofreu na juventude, afirmando que, hoje, enxerga a beleza de forma diferente diferente.

“Sempre cuidei muito da alimentação porque tava sempre com a imagem, né, sempre na frente da televisão. Essa ditadura da beleza, isso que a gente fala tanto hoje e falava menos antes, sempre existiu. Então eu já sofri isso também, de ter que estar em forma, de ter que estar bonita. Ouvia críticas: ‘Ah ela tá gorda. Ah, ela tá magra. Ah, agora deve ter tomado algum remédio’. Era uma pressão enorme. O importante é a saúde mesmo, é você estar bem com você, olhando no espelho e vendo você de verdade, não alguém que você criou pra ser igual à capa de revista”, disse.

Confira o vídeo

-Publicidade-