Anitta conta que tem endometriose e está com cirurgia marcada. Entenda o que é a doença e como tratar!

A artista desabafou nas redes sociais que só descobriu que era endometriose depois de nove anos sentindo muita dor

Resumo da Notícia

  • A cantora Anitta descobriu endometriose e está com cirurgia marcada
  • Ela falou sobre o assunto com os fãs no Twitter e conta que sente muita dor
  • Saiba o que é a endometriose, quais os sintomas e como tratar

A cantora Anitta chamou seus fãs no Twitter para falar sobre um problema de saúde dela que tem incomodado bastante nos últimos anos: a endometriose. A artista fez uma postagem dizendo que está no auge dos acontecimentos mais inacreditáveis da vida dela, e classificou de “rajadão de bençãos”, mas que a endometriose não a está deixando sorrir.

-Publicidade-

Em uma das postagens ela reclama dos sintomas. “Acredite. A dor é tão ruim que você quer fazer de tudo para que isso passe. Então obviamente nesses meus nove anos de luta eu passei foi por gente me dizendo as mesmas coisas…e nada de resolver.”

Estima-se que no mundo 10 a 15% das mulheres tem endometriose e a grande maioria delas nunca vai saber disso (Foto: Reprodução/Instagram)

Para ajudar a Anitta e todas as mulheres com informações de qualidade sobre o problema, conversamos com o ginecologista da USP e do Hospital Albert Einstein e especialista em endometriose, Igor Padovesi, pai de Beatriz, Guilherme e Cecília. Ele explica que essa “luta” citada por Anitta é a realidade de muitas mulheres, já que estudos mostram que o tempo médio para descobrir o problema geralmente é de sete a dez anos.

Estima-se que no mundo 10 a 15% das mulheres tem endometriose e a grande maioria delas nunca vai saber disso, pois não tem acesso a um exame adequado. Só no Brasil são mais de 7 milhões de casos. “A endometriose é uma doença crônica, silenciosa, provocada pela migração do tecido que reveste a cavidade uterina, o endométrio, para outras partes do corpo, principalmente para o abdome, além de ovário, ligamentos uterinos, bexiga e intestino e que por isso que é muito difícil de ser identificada em exames comum de imagens”, diz o médico.

Dr. Igor explica ainda que esses exames específicos ainda são poucos disponíveis e por isso a demora pelo diagnóstico correto. “A tecnologia que detecta a doença é nova no Brasil, surgiu apenas nos últimos 20 anos e ainda não é de fácil acesso para toda a população. Um estudo feito pela USP mostra que quando feito um exame específico a chance de acertar a causa do problema é de 95%”, diz o especialista.

Conheça os sintomas

  • Muita dor pélvica – na parte de baixo da barriga
  • Cólica menstrual intensa aparentemente sem motivo
  • Em alguns casos até a infertilidade
  • Dor profunda nas relações sexuais

Tratamento

A doença deve ser controlada com contraceptivos hormonais, como pílulas ou anel hormonal, como o DIU e é necessário suspender a menstruação, no caso das mulheres que não estão tentando engravidar. “Em alguns casos, assim como o relato da Anitta, a melhor intervenção é a cirurgia”, explica Dr. Igor que é especialista em cirurgias minimamente invasivas para o tratamento da endometriose.

Após a revelação da cantora a atriz e influenciadora Giovanna Ewbank, mãe de Zyon, Titi e Bless também se manifestou dizendo que fez a cirurgia assim que descobriu a doença. “A Anitta  falando sobre endometriose me passa um filme na cabeça. Sofri por muitos anos sem saber o que tinha, eram cólicas de desmaiar de dor e mto desconforto na relação sexual. Eu nunca tinha ouvido falar da doença quando descobri e logo operei. Mudou a minha vida! Procure saber!”, postou ela.

A cirurgia é, por enquanto, o único tratamento para o útero bicorno. O acompanhamento com um especialista é fundamental
A cirurgia é um dos tratamentos para aliviar os sintomas da doença (Foto: Shutterstock)

É possível engravidar com endometriose?

A endometriose pode, sim, causar infertilidade, mas isso não é uma regra. Dr. Igor explica que mais da metade das mulheres com endometriose consegue engravidar espontaneamente, mas a dificuldade em relação quem não tem a doença pode ser de duas a três vezes maior.

A prova disso é a gravidez da analista de sistemas Cristiane Mauerwerk Simão, mãe de Lucas e Murilo e casada com Eduardo Simão. Por volta dos 40 anos e em meio às tentativas para engravidar, ela descobriu que estava com endometriose. “Por não conseguir determinar o grau, o médico pediu para que eu fizesse uma videolaparoscopia, um procedimento que limparia os focos. Procurei um ginecologista e fiz alguns exames clínicos necessários para a cirurgia e uma avaliação cardiológica para saber se estava tudo bem”, conta.

“Quando estava tudo pronto para a internação, retornei no médico e comentei que minha menstruação estava atrasada, mas como tenho ovários micropolicísticos, meu ciclo nunca foi regular. Ele me pediu um exame de sangue Beta HCG com urgência para descartarmos as chances de engravidar, já que faria a cirurgia na próxima semana. No exame, surpresa. Estava grávida de cinco semanas. Foi uma alegria”, relata Cristiane.

Para ela, engravidar naturalmente, sem precisar fazer inseminação, foi motivo de comemoração: “Tive que tomar alguns cuidados até completar 16 semanas, mas tive uma gestação ótima. O Lucas nasceu perfeito e, quando ele completou um ano, decidi engravidar novamente. Depois de quatro meses de tentativas, fiquei grávida naturalmente também do Murilo”, lembra.

Endometriose atrapalha a vida sexual?

Depende, pois a relação sexual é compreendida de maneiras diferentes para cada mulher. No entanto, a endometriose afeta as mulheres produzindo fatores inflamatórios dolorosos e nódulos em locais específicos que facilitam a dor.

E que toda vez que eu tinha relação com o piu piu mais avantajado eu não tinha condições nem de andar no dia seguinte ou 48h depois de tanta dordesabafa Anitta.

Geralmente, nas primeiras vezes a dor pode até acabar passando despercebida e causando apenas desconfortos pontuais. Mas, quando ela for recorrente, pode ocorrer uma piora progressiva na diminuição da libido, lubrificação, ausência de orgasmos e também dor durante e após a relação sexual e por isso a importância de realizar exames frequentes com ginecologista e especialistas.

A artista dá um conselho para suas seguidoras: “Procurem mais de um médico, mais de uma opinião. Se um não resolver… vai pra outro até resolver. Não é normal a gente viver com essa dor assim pra sempre.” E reforça “é só o choro. Endometriose. Pesquisem artigos sérios no Google (ainda é um assunto :meio” novo então não tem tannnnnnta informação) mas um médico especialista nisso vai conseguir te ajudar. Enquanto isso tô aqui contando os dias pra minha cirurgia. Dizem que é bem simples”.

Assista o primeiro episódio do POD&tudo, o podcast da Pais&Filhos.