Anvisa estuda uso emergencial de vacina contra Covid-19 no Brasil, diz agência

Se a possibilidade for adotada, não será necessário o registro dos imunizantes para iniciar a aplicação do medicamento em alguns grupos específicos de pessoas

Resumo da Notícia

  • A Anvisa está estudando a possibilidade de autorizar o uso emergencial da vacina contra a Covid-19 no Brasil
  • A informação foi dada por uma fonte ligada ao assunto ao portal O Globo e depois confirmada pela agência Reuters
  • Quatro vacinas estão na fase final de testagem no Brasil atualmente

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) está estudando a possibilidade de autorizar o uso emergencial da vacina contra a Covid-19 no Brasil. A informação foi dada por uma fonte ligada ao assunto ao portal O Globo e depois confirmada pela agência Reuters.

-Publicidade-
Quatro vacinas estão nos testes finais no país (Foto: Unsplash)

Se a possibilidade for adotada, não será necessário o registro dos imunizantes para iniciar a aplicação do medicamento em alguns grupos específicos de pessoas. Enquanto isso, os laboratórios continuariam as pesquisas normalmente até que a aprovação regulatória fosse liberada para todo o país.

Quatro vacinas estão na fase final de testagem no Brasil atualmente, entre elas, as desenvolvidas pela AstraZeneca, em parceria com Universidade de Oxford; Pfizer, em parceria com a BioNTech; Johnson & Johnson, por meio da Janssen, e a CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac. A Anvisa ainda não se pronunciou sobre o assunto.

-Publicidade-

Covid-19: entenda cada fase do plano de vacinação previsto para 2021

Veja como será o plano (Foto: Freepick)

O Ministério da Saúde anunciou na última terça-feira, 1 de novembro, um plano preliminar de vacinação contra a Covid-19 no Brasil. De acordo com o documento, as doses serão dividias em quatro fases, prorizando certos grupos da população. A vacinação deverá começar em março de 2021, segundo a previsão do Ministério da Saúde. Eles acreditam o plano se encerará em dezembro de 2021.

Na primeira fase, receberão a vacina trabalhadores da área de saúde e idosos com mais de 75 anos. Pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena também poderão receber a imunização. Logo em seguida, na segunda fase, será a vez de idosos entre 60 e 14 anos em qualquer situação.

Na fase 3, receberão a vacina indivíduos com condições de saúde que estão relacionadas a casos mais graves de Covid-19. Logo em seguida, da quarta fase, a vacina será dada aos professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e a população privada de liberdade. Quanto à população geral, não se sabe quando acontecerá a vacinação, o que é esperado considerando a grande demanda pela vacina no mundo todo.

-Publicidade-