Após 3 anos da morte, pai de Gabriel Diniz abre o coração e mostra quarto intacto do filho

Cizinato, pai de Gabriel Diniz, desabafou em entrevista após 3 anos da morte do filho

Resumo da Notícia

  • Hoje faz 3 anos que o cantor sertanejo Gabriel Diniz morreu
  • Cizinato, pai de Gabriel, abriu o coração em entrevista
  • Ele contou que o quarto do filho segue intacto
  • O pai desabafou sobre a saudade que sente

No dia de hoje, sexta-feira, dia 27 de maio, completa 3 anos que o cantor Gabriel Diniz morreu em um acidente aéreo, em Estância, Sergipe. Desde o acontecimento, a família vem aprendendo a lidar com a saudade e relembrando os momentos que viveram ao lado do artista.

-Publicidade-

Em entrevista à TV Tambaú, Cizinato Diniz, pai de Gabriel, contou que já sentiu a presença do filho: “Foi como receber um abraço. Como se fosse um sonho, mas um sonho muito real. Eu estava deitado e ouvi uma pessoa dizer: ‘você não liga mais pra mim’. Aí eu falei: ‘Gabriel?’. Aí ele pegou na minha mão, me puxou, caiu em cima de mim e me abraçou, como o Gabriel fazia. Eu fiquei tão emocionado, porque foi tão forte. Depois eu falei com minha esposa e disse que, com certeza, Gabriel foi dar um abraço de alguma forma, se fazer presente.”

Após 3 anos da morte, pai de Gabriel Diniz abre o coração e mostra quarto intacto do filho
Após 3 anos da morte, pai de Gabriel Diniz abre o coração e mostra quarto intacto do filho (Foto: Reprodução TV Tambaú)

Na reportagem, Cizinato mostrou que preserva o quarto do filho, tudo do jeito que ele deixou, incluindo o violão. Um dos objetos mais importantes para a família é um caderno de anotações, que estava com Gabriel no dia do acidente. “O melhor ano da minha vida até então” está escrito na capa. Entre as anotações, estavam listados dezenas de motivos pelos quais o cantor agradecia. “Ele agradecia porque era feliz, grato a Deus. Ele fazia isso diariamente”, disse o pai.

Cizinato mostrou o objeto com carinho (Foto: Reprodução TV Tambaú)
Cizinato mostrou o objeto com carinho (Foto: Reprodução TV Tambaú)

Ele contou sobre o quarto do filho e desabafou: “Fica em frente ao meu quarto. Às vezes, me sinto solitário, entro, bato papo… Mas também fico triste. Não sei explicar. Não é sofrimento, sou grato a Deus pelas coisas que ele proporcionou ao meu filho. É que, se fico muito tempo olhando as fotos, me fragilizo. Tinha um pouco de egoísmo da minha parte por não mostrar, porque era a única coisa de Gabriel que eu tinha só para mim. Mas decidi abrir porque sempre que chega perto do dia 27 vejo muitas homenagens, me sinto próximo dos fãs.”