Após aborto, Li Martins fala sobre possibilidade de nova gravidez

A cantora Li Martins contou que ainda não está pronta para outra gestação após o aborto recente, e que a filha dela sempre pede por um irmãozinho

Resumo da Notícia

  • Li Martins falou sobre a possibilidade de uma nova gravidez após aborto recente
  • Ela contou que a filha Antonella sempre pede por um irmão
  • Segundo a cantora, ela ainda não se sente pronta para tentar de novo

A cantora Li Martins, que é mãe de Antonella, de 4 anos, contou sobre os planos de uma nova gestação, após ter passado por um aborto recentemente. A ex-integrante da banda Rouge disse que ainda não se sente preparada depois do choque que foi a perda.

-Publicidade-

Ela falou que Antonella ainda questiona onde que está o bebê que os pais, Li e JP Mantovani, estavam esperando, e ela explica que infelizmente, não tem mais nenhum neném na barriga. Ela também contou que a menina sempre pede por um irmãozinho, mas que ainda não é o momento.

“Ainda não estamos tentando. Estou com um pouco de medo por causa da última gestação.  Mas a Antonella pede muito. Ela pergunta às vezes da sementinha que estava na barriga da mamãe. Eu falo: ‘Não tem mais, filha’. Tenho medo de passar por isso de novo. Por enquanto eu não estou preparada”, contou Li em entrevista à Quem.

Após aborto, Li Martins fala sobre possibilidade de nova gravidez
Após aborto, Li Martins fala sobre possibilidade de nova gravidez (Foto: Reprodução Instagram)

Entenda a situação: Li Martins, ex-integrante do Rouge, estava com bebê sem vida no útero: “Pesadelo”

Li Martins, ex-integrante do Rouge, contou que perdeu o bebê que estava esperando de maneira trágica. As informações são da colunista Fábia Pereira para o portal “Em Off”. A jornalista conversou diretamente com Li, que explicou o ocorrido.

A mãe conta que descobriu a perda no segundo ultrassom da gravidez. “Na primeira, o tamanho sugeria seis semanas, mas nessa o bebê estava menor que na última, como se tivesse regredido para o tamanho de cinco semanas”. Diante disso, o médico confirmou para Li que o bebê estava sem sinais vitais.

“Nesse momento eu paralisei! Tentei disfarçar e não demonstrar pra Antonella [a primeira filha] a profunda tristeza que me dominou naquele instante: ‘Meu Deus! Meu bebê não tem mais vida'”. Li optou esperar expelir o bebê ao invés de retirá-lo por meio de cirurgia – e ainda falou sobre a angústia da situação.

“Eu optei por esperar, mas não imaginava como seria lidar com a ideia de saber que o meu bebê ainda está aqui, mas sem vida! Parecia um pesadelo, mas era real! Choro escondida sempre que penso que não vamos nos conhecer, tento entender o que não se explica, tento aceitar o que não posso mudar, porque não tem sido fácil aceitar a sua perda”, contou.