Asilo tem ideia criativa para idosos matarem saudade de familiares após 7 meses sem vê-los

Sem visitas desde o começo da pandemia, a instituição se reinventou e criou uma sala com janela de vidro para que os idosos pudessem ver os parentes e conversar com eles frente a frente

Resumo da Notícia

  • Os idosos abrigados estavam com saudade dos amigos e familiares que não viam há 7 meses
  • Uma medida de isolamento que era para protegê-los acabou fazendo com que eles se sentissem abandonados, chegando a desenvolver até quadros depressivos
  • Pensando em trazer o sorriso dos residentes de volta, a instituição teve uma ideia super criativa
  • Confira abaixo!

Em Tupã, São Paulo, um asilo, pensando na saúde mental e bem estar dos idosos teve que pensar em uma solução para que eles pudessem matar a saudade de familiares e amigos. A instituição atende a 80 moradores, que estão isolados e sem poder ver a família desde o começo da pandemia, há 7 meses.

-Publicidade-

Pensando em evitar a contaminação e propagação do no novo coronavírus, segundo o G1, o asilo ‘Casa dos Velhos’ suspendeu as visitações, no entanto a distância e falta de contato dos idosos com os entes queridos fizeram com que eles se sentissem abandonados, desenvolvendo até depressão no isolamento.

Eles estavam a 7 meses sem verem os amigos e familiares (Foto: Reprodução/ G1)

Felizmente os trabalhadores da casa foram criativos e encontraram duas soluções para tentar ajudar os moradores, uma ‘presencial’ e outra virtual. Na segunda opção os familiares faziam chamadas de vídeo com o idoso e a imagem dos que ligavam era projetada na tela de uma televisão de 43 polegadas.

-Publicidade-
Para trazer o sorriso de volta ao rosto dos idosos, a instituição pensou em duas ideias geniais (Foto: Reprodução/ G1)

Já a primeira foi a que realmente fez com que os residentes de fato ficassem mais alegres. A instituição montou uma sala com uma grande janela de vidro que dava para a rua por onde os idosos podiam ver os queridos, sentados em uma poltrona, em frente o vidro temperado, e conversar com eles na calçada, com um interfone sem fio, no sistema viva-voz.

A sala com vidro realmente ajudou os residentes (Foto: Reprodução/ G1)

“A sensação é de receber afeto, de a família estar presente, acabou a sensação de abandono e os idosos passaram a ficar mais felizes, eles estavam tristes e adoecendo, com o emocional afetado. Pra gente que trabalha aqui, tudo isso é muito gratificante”, concluiu a psicóloga que trabalha no asilo, Cinthia Cláudia Mendes.

-Publicidade-