Asteroide que vai se aproximar da Terra em 2029 pode ter partículas arrancadas pela gravidade: entenda

Um estudo buscou entender o comportamento desse asteroide e o que pode acontecer quando ele se aproximar do nosso planeta

Resumo da Notícia

  • Asteroide que vai se aproximar da Terra em 2029 pode ter partículas arrancadas pela gravidade
  • Um estudo buscou entender o comportamento desse asteroide e o que pode acontecer quando ele se aproximar do nosso planeta
  • Os resultados mostraram que a aproximação do Apophis pode afetar levemente as marés e causar alguns deslizamentos de terra na superfície do corpo celeste

Uma nova pesquisa da Universidade Carlos III de Madrid (UC3M) em parceria com a Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho Paulista (UNESP) buscou analisar as características do asteroide Apophis. O corpo celeste tem 370 metros de diâmetro e vai passar relativamente perto da Terra no dia 13 de abril de 2029.

-Publicidade-

O estudo foi feito justamente para tentar entender o que essa proximidade com nosso planeta poderia causar. A pesquisa olhou mais profundamente  os possíveis efeitos da aproximação, como possíveis influências na trajetória e no ângulo de inclinação, entre outros detalhes.

Asteroide que vai se aproximar da Terra em 2029 pode ter partículas arrancadas pela gravidade
Asteroide que vai se aproximar da Terra em 2029 pode ter partículas arrancadas pela gravidade (Foto: Getty Images)

“A colisão não é a única possibilidade em eventos de aproximação com esse”, afirma o pesquisador do Departamento de Bioengenharia e Engenharia Aeroespacial da UC3M, Gabriel Borderes-Motta, à agência de notícias da Associação Americana para o Avanço da Ciência.

Ele seguiu falando que a gravidade pode fazer com que esse asteroide se “quebre” em alguns pedaços. “A interação gravitacional entre um planeta e um corpo como o Apophis pode alterar a forma do corpo, quebrar o corpo em pedaços, desintegrar possíveis pedras soltas na superfície do asteroide, ou até mesmo remover outros corpos que orbitam o asteroide (como rochas, satélites, ou anéis)”, explica o pesquisador.

Para fazer a pesquisa, os cientistas realizaram um conjunto de simulações numéricas para tentar prever como as partículas que orbitam o asteroide reagirão a diferentes situações e como essas possibilidades podem influenciar o comportamento do corpo celeste.

A hipótese ressaltada pela pesquisa foi a de que aproximadamente 90% das pedras soltas seriam removidas da superfície do asteróide durante a aproximação da Terra. Além disso, os resultados mostraram que a aproximação do Apophis pode afetar levemente as marés e causar alguns deslizamentos de terra na superfície do corpo celeste.