Atentando EUA: bebê de dois anos fica órfão após tiroteio no desfile da Independência

Uma vaquinha virtual foi criada pelos vizinhos e já arrecadou mais de um milhão de dólares para ajudar a família

Resumo da Notícia

  • Um bebê ficou órfão depois do tiroteio no desfile da Independência, no último dia quatro de julho, nos Estados Unidos
  • A fim de ajudar o garoto e sua família, uma das pessoas que acolheu o bebê criou uma vaquinha já arrecadou US$ 1,2 milhão de dólares
  • Ainda segundo a BBC, outras quatro vítimas, além dos pais do bebê, foram identificadas nesta terça

Um bebê foi encontrado sozinho, sujo de sangue, depois do tiroteio durante o desfile de comemoração da Independência dos Estados Unidos, em Highland Park, na região de Chicago, no último dia quatro de junho. Segundo informações da BBC, uma grande mobilização foi feita nas redes sociais para encontrar a família de Aiden McCarthy, de dois anos. E após foi confirmado que os pais da criança foram mortos no atentado e com isso ele foi entregue aos avós.

-Publicidade-
Aiden McCarthy, 2, teve seus pais, Kevin McCarthy, 37, e Irina McCarthy, 35, assassinados no atentado, no dia quatro de julho (Foto: Reprodução/Twitter@MarParNews)

A fim de ajudar o garoto e sua família, uma das pessoas que acolheu o bebê criou uma campanha para arrecadar fundos. A vaquinha já arrecadou US$ 1,2 milhão de dólares. “Na sequência do tiroteio em Highland Park em 4 de julho, a comunidade de North Shore se uniu para ajudar um menino sobre o qual nada sabíamos. Nós o levamos para um local seguro em circunstâncias trágicas, nos reunimos para localizar seus avós e oramos pela segurança de sua família”, escreveu Irina Colon, americana que criou a vaquinha digital para arrecadar fundos para o garoto.

Ainda segundo a BBC, outras quatro vítimas foram identificadas nesta terça: o mexicano Nicolas Toledo, 78, a professora Jacki Sundheim, 63,Katherine Goldstein, 64, e Stephen Straus, 88. Entretanto, não há informações sobre o nome da sétima pessoa morta no ataque.

Nesta terça, a procuradoria do estado de Illinois acusou Robert E. Crimo 3º, 21, pelo crime. Ele pode ser condenado a prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional.

O suspeito tinha no carro um fuzil de alta potência semelhante ao utilizado no tiroteio, similar a um AR-15. Além disso, carregava outras armas, todas compradas legalmente em Illinois, disseram as autoridades. Ao todo, ele havia comprado cinco armas de fogo, incluindo rifles e revólveres.

Conforme informação das autoridades americanas, o suspeito disparou mais de 70 vezes de um telhado de maneira aleatória contra pessoas que assistiam ao desfile e depois fugiu vestido com um disfarce para se misturar à multidão em pânico. O tiroteio ocorreu em um bairro com grande população judaica, mas a polícia afirma que ainda não tem evidências de que o ataque tenha ocorrido por motivos antissemitas ou racista.

Assista o POD&tudo, o podcast da Pais&Filhos.