Atleta brasileiro de boxe com medalha garantida nas Olimpíadas sonha em comprar casa para a mãe

Abner Teixeira garantiu a medalha de bronze para o Brasil ao avançar para a semifinal do esporte. Ele deseja dar um futuro para Izaudita Sampaio

Resumo da Notícia

  • O boxeador Abner Teixeira tem dois sonhos a serem realizados em 2021: ganhar uma medalha olímpica, o que foi realizado ao chegar às semifinais e garantir ao menos o bronze, e comprar uma casa para a mãe Izaudita Sampaio.
  • Ele será o quinto atleta de boxe a ganhar uma medalha olímpica para o Brasil.
  • Abner descobriu o amor pelo esporte ao entrar no projeto "Boxe - Mãos para o Futuro", do professor Vladimir Godoi.

Abner Teixeira, de 24 anos, vai realizar o sonho de ganhar uma medalha olímpica e depois deseja comprar a primeira casa própria da mãe, Izaudita Sampaio. O pugilista ganhou do boxeador Hussein Iashish, da Jordânia, nesta sexta-feira, dia 30 de julho, sendo classificado para as semifinais na categoria pesada, entre 81 e 91 quilos, do esporte nas Olímpiadas de Tóquio, garantindo poder levar a medalha de bronze e concorrer ao ouro se chegar nas finais.

-Publicidade-
O pugilista tem garantido a medalha de bronze, mas pode conquistar prata ou ouro se chagar na final. (Foto: Reprodução/ G1/ Ueslei Marcelino/Reuters)

“Estou trabalhando para isso, comprar uma casa para minha mãe. Ela nunca teve uma casa própria e quero dar essa alegria para ela. As metas imediatas são ser campeão olímpico e campeão mundial. Os dois vão ser neste ano, e, a longo prazo, comprar a casa para minha mãe e dar um futuro melhor para ela”, disse o lutador ao G1.

A mãe está orgulhosa pela vitória do filho, nas redes sociais escreveu: “Deus é fiel. A ele a honra e a glória”. Abner não é o primeiro brasileiro a conquistar uma medalha olímpica no boxe, antes o Brasil conquistou quatro medalhas: bronze de Servílio de Oliveira (México 1986); bronze de Adriana Araújo (Londres 2012); bronze de Yamaguchi Falcão (Londres 2012) e a prata de Esquiva Falcão (Londres 2012).

Abner Teixeira sonha em dar casa para a mãe, Izaudita Sampaio . (Foto: Reprodução/ Instagram/ @abner91kg)

Origem do campeão

Abner Teixeira nasceu em Osasco e mudou-se para Sorocaba, no interior de São Paulo, onde entrou no projeto social “Boxe – Mãos para o Futuro”, do professor Vladimir Godoi. Nesse lugar, ele descobriu o amor pelo boxe e teve uma perspectiva de opções para o futuro. Entre as conquistas está ser bicampeão brasileiro juvenil e de elite, transformando-se em referência nacional do boxe na categoria a partir de 91 quilos. Além da medalha de bronze, em 2019, no Pan de Lima, no Peru.

“A medalha olímpica vai abrir vários caminhos. Posso terminar as Olimpíadas e ir para a de 2024, posso passar para o profissional e lutar por um título mundial profissional. Querendo ou não, passar para o profissional não terá o mesmo valor que o Abner campeão olímpico. O contrato é outro, o jeito que vão me olhar será outro, então acho que abrirá muitas portas. Essa medalha olímpica vai realmente mudar a minha vida”, analisa.