Avó começa a lutar boxe aos 75 anos para diminuir sintomas de Parkinson

Nancy Van Der Stracten, seguiu o conselho do médico ao ser diagnosticada com a há 10 anos. Desde então não passou mais nenhum dia parada e encontrou esporte que não consegue mais viver sem

Resumo da Notícia

  • Nancy Van Der Stracten, seguiu o conselho do médico ao ser diagnosticada com Parkinson há 10 anos
  • A avó de 75 anos começou a lutar boxe três vezes por semana para reduzir os sintomas da doença
  • Infelizmente ainda não existe cura para a condição por seu uma doença autodegenerativa

Uma avó de 75 anos, Nancy Van Der Stracten, seguiu o conselho do médico ao ser diagnosticada com Parkinson há 10 anos, a condição é um distúrbio cerebral degenerativo que causa tremores, rigidez e outros problemas relacionados ao caminhar e manter o equilíbrio e a coordenação. “Meu médico disse um dia que era proibido ficar parada”, contou ela, que hoje pratica boxe, três vezes por semana, para diminuir os sintomas da doença.

-Publicidade-

Infelizmente ainda não existe cura para a doença, no entanto, os sintomas podem ser atenuados com a prática de exercícios físicos. Exatamente por isso a senhora turca está sempre na academia se exercitando. Ela geralmente se aquece com uma caminhada na esteira e depois, segue para o esporte favorito: o boxe.

Nancy luta boxe para amenizar sintomas do Parkinson (Foto: Reprodução/ Reuters)

Logo após ser diagnosticada com Parkinson a senhora prometeu não se deixar abater. “Vá em frente, vá em frente. E esse é o meu conselho para todos. Faça um esporte e algo que você goste”, aconselhou Nancy. Segundo ela o boxe sem contato surgiu de forma repentina na vida dela.

A idosa foi a uma academia pesquisar exercícios que poderiam ajudá-la a controlar sua doença e hoje a prática é  mais do que uma terapia, ela ama e não consegue viver mais sem. Nancy pratica os golpes em um oponente que usa luvas acolchoadas. Ela nunca leva nenhum golpe, por isso, é uma maneira segura de fazer exercícios cardiovasculares que estimulam o cérebro, assim como o corpo.

Mas por que o boxe?

De acordo com o neurologista Geysu Karlikaya, o boxe é o exercício perfeito para alguém com Parkinson, mesmo que tenha idade avançada. “Estudos têm mostrado que o boxe sem contato é bom para o cérebro, por isso é bom para a doença de Parkinson. Vai curar a doença de Parkinson? Provavelmente não, por ser um distúrbio neurodegenerativo… Mas melhora a qualidade de vida dos pacientes”, afirma.