Avó ressuscita neta que nasceu prematura após parto em casa: “Fiquei apavorada”

Katie Dolan descobriu que estava grávida com 22 semanas e a bebê nasceu duas semanas depois

Resumo da Notícia

  • Uma avó salvou a vida da neta duas vezes
  • A bebê nasceu prematura com apenas 22 semanas
  • A avó realizou a manobra de reanimação cardiorrespiratória

Uma verdadeira heroína que não usa capa salvou a vida de um bebê não uma, mas duas vezes. Niamh nasceu prematura com 24 semanas apenas, e contou com a ajuda da avó que realizou duas reanimação cardio respiratórias, a mãe descobriu que estava grávida com 22 semanas.

-Publicidade-

Quando a filha entrou em trabalho, Joanne Dolan, 53, precisou ajudá-la a dar à luz. “Não tive tempo para pensar, fiquei apavorada, mas agi o mais rápido que pude”, relatou ao Wales Online. “Eu estava ansiosa e insegura se tinha feito isso corretamente, porém, estava no telefone com a emergência e eles explicaram como fazer a RCP (reanimação cardiorrespiratória)”, continuou.

A mãe teve um sangramento intenso e foi ao hospital onde descobriu que estava grávida: “Foi assustador e eu não tinha ideia do que estava acontecendo”, lembrou a mãe. Após Katie ter alta ela ficou com a mãe em casa, antes do parto, ela disse que acordou durante a madrugada para ir ao banheiro e começou a sentir contrações.

“Lembro de gritar e chamar minha mãe”, afirmou. Imediatamente, Joanne ligou para a emergência e recebeu as orientações de como auxiliar no parto da neta. “Em 15 minutos, Niamh nasceu por meio de um parto pélvico (quando a criança está “sentada” na barriga da mãe, e não com a cabeça encaixada). Minha mãe teve que ressuscitar minha filha duas vezes. Sinceramente, nem me lembro de muita coisa, fiquei muito chocada”, desabafou Katie.

A bebê nasceu com apenas 22 semanas
A bebê nasceu com apenas 22 semanas (Foto: Reprodução/New York Post)

Após o nascimento da bebê, duas ambulâncias chegaram e levaram mãe e filha para um hospital local. “Lá, a equipe neonatal teve que descer até a ambulância e fazer de tudo para manter Niamh respirando”, recordou Katie. A família ficou 5 horas esperando notícias da bebê.

“A equipe conseguiu mantê-la estável. Foi absolutamente aterrorizante. Eles, então, disseram que Niamh precisaria ser transferida para um hospital especializado, mas que ela estava muito mal e não sabia se conseguiria fazer a viagem”, explicou a mãe. “Eu nem tive permissão para ir com ela porque não podia viajar após o parto, eu estava com muita dor e em choque”, comentou.

Katie, então, foi para casa junto com Joanne e lá recebeu um telefonema dizendo que a filha tinha chegado bem ao hospital. A pequena vem se recuperando aos poucos “É uma loucura. A equipe médica a chamou de ‘bebê milagroso‘, pois nunca tinham visto um bebê nascer tão cedo em casa e sobreviver”, destacou a mãe.