Barbie lança boneca em homenagem à cientista britânica que criou vacina contra a covid-19

A Mattel criou uma Barbie para Sarah Gilbert, médica britânica de 59 anos, que ajudou a desenvolver a vacina da AstraZeneca

Resumo da Notícia

  • A Mattel lançou uma boneca em homenagem para Sarah Gilbert
  • Ela é a médica britânica que ajudou a desenvolver a vacina da AstraZeneca contra a covid-19
  • A cientista espera que as Barbies seja um exemplo de motivação para outras gerações

Mais uma Barbie para ficar marcada na história! A Mattel lançou uma boneca em homenagem para Sarah Gilbert, médica britânica de 59 anos, que ajudou a desenvolver a vacina da AstraZeneca contra a covid-19.

-Publicidade-
(Foto: Reprodução/Upsocl)

A iniciativa faz parte da linha “Mulheres Inspiradoras” (Role Models em inglês). A cientista espera que as Barbies seja um exemplo de motivação para outras gerações. “É um conceito muito estranho ter uma boneca Barbie feita com a minha imagem. Mas espero que isso ajude a tornar mais normal para as meninas pensarem em seguir carreiras científicas ”, disse Gilbert em uma entrevista para a Mattel.

(Foto: Reprodução/Upsocl)

“De enfermeira de emergência a pesquisadora médica e muito mais, essas heroínas continuam a se levantar para servir suas comunidades neste momento de necessidade e inspirar as gerações atuais e futuras a fazer o mesmo. Graças a essas heroínas” , diz a Mattel no comunicado.

(Foto: Reprodução/Upsocl)

Lisa McKnight, vice-presidente sênior e chefe global da Barbie e bonecas da Mattel, conta como o projeto “Mulheres Inspiradoras” tem ajudado muito na questão de mostrar a meninas que elas podem fazer o que quiserem: “A Barbie reconhece que todos os trabalhadores da linha de frente fizeram enormes sacrifícios ao enfrentar a pandemia e os desafios que ela agravou”, diz ela, que complementa: “Para iluminar seus esforços, estamos compartilhando suas histórias e aproveitando a plataforma da Barbie para inspirar a próxima geração a seguir essas heroínas. Nossa esperança é nutrir e estimular a imaginação das crianças que interpretam seus próprios enredos como heróis”.

(Foto: Reprodução/Upsocl)

Sarah pediu que a organização Women in Science & Engineering, dedicada a inspirar meninas a se aventurarem no mundo da ciência e da tecnologia, receba uma doação contra a receita gerada por essas bonecas.

A biomédica brasileira Dra. Jaqueline Goes também se tornou uma das bonecas da Barbie. Ela se tornou conhecida após liderar a equipe que sequenciou o genoma do vírus SARS-CoV-2 em apenas 48h no Brasil – tempo recorde se comparado a outros países. Doutora em Patologia Humana e Experimental pela UFBA (Universidade Federal da Bahia), instituição associada à Fiocruz, e mestre em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa, a pesquisadora coordena o projeto CADDE (Centro de Descoberta, Diagnóstico, Genômica e Epidemiologia de Arbovírus), uma parceria do Brasil com o Reino Unido.

(Foto: Reprodução/Upsocl)

Entre as outras heroínas da linha da Mattel, estão a enfermeira do pronto-socorro Amy O’Sullivan, que tratou do primeiro paciente COVID-19 no Wycoff Hospital em Nova York, Chika Stacy Oriuwa, canadense residente em psiquiatria da Universidade de Toronto, que é conhecida por rejeitar o racismo na área de saúde, e Kirby White, uma médica australiana que desenvolveu uma bata cirúrgica que pode ser lavada e reutilizada durante esta crise de saúde.