BBB 22: Pai de Paulo André abre o coração sobre cirurgia que o neto precisou fazer ao nascer

Carlos José Camilo contou que o filho de Paulo André, que está confinado no BBB 22, precisou fazer uma operação por causa de uma questão de saúde quando nasceu

Resumo da Notícia

  • O pai de Paulo André relembrou uma cirurgia que o neto precisou fazer
  • O menino hoje tem apenas 6 meses de vida
  • Carlos José contou que descobriram a necessidade da cirurgia durante a gravidez

Carlos José Camilo, pai do participante do Big Brother Brasil 22, Paulo André, relembrou uma cirurgia que seu neto precisou fazer logo após o nascimento do menino. Hoje, ele está com 6 meses de vida. As lembranças vieram quando o próprio PA falou emocionado sobre esse momento da vida do filho.

-Publicidade-

“As lágrimas nos olhos vieram juntos, porque fui relembrando com ele. E o PAzinho, no meu colo, não entendeu nada. Mas é que olhando para a TV e para o meu neto fiquei pensando como Deus é maravilhoso e a recuperação foi rápida”, Carlos contou em entrevista ao Extra.

“Foi um susto na época. A cirurgia foi para corrigir um problema no intestino. E tudo que envolve recém-nascido nos deixa assim. Sem contar que a gente via as crianças nascendo e saindo da maternidade e gerava uma ansiedade em todos nós, porque a nossa criança estava na UTI”.

O pai de Paulo André relembrou a cirurgia que o neto precisou fazer após o nascimento
O pai de Paulo André relembrou a cirurgia que o neto precisou fazer após o nascimento (Foto: Reprodução/Instagram/Rede Globo)

Thays Andrade, namorada de PA na época e mãe do menino, ficou sabendo da necessidade de cirurgia do bebê ainda durante a gestação. Os dois estavam nos Estados Unidos porque o velocista estava se preparando para o Mundial de atletismo que aconteceria em Oregon.

“Ficamos acompanhando essa fase inicial de longe, com a mãe do PAzinho filmando tudo e falando sempre conosco. Ficamos preocupados, claro. Nessas horas, eu tento entrar na mente dele. E também faço adaptações aos treinos, claro, senão o atleta não assimilia nada”, contou.

“Mas o que eu costumo dizer mesmo ao Paulo André que a vida é uma onda. Ela sobe e um dia vai quebrar. Então, temos que pegar o tubo, ficar ali no meio, para conseguir subir e descer, quando quebrar, superar os obstáculos e seguir em frente. Eu seguro mais, não posso demonstrar tanto, porque se um cai, o outro cai junto. E quando viajamos, somos só nós dois e é um levantando o outro o tempo todo”.