Bebê nasce com anticorpos da Covid-19 após mãe receber vacina semanas antes do parto

A informação foi divulgada em um artigo científico escrito pelos médicos Paul Gilber e Chad Rudnick, que contaram que a mãe trabalha na linha de frente em combate à doença e recebeu a primeira dose da vacina da Moderna em janeiro de 2021

Resumo da Notícia

  • O primeiro bebê com anticorpos da Covid-19 nos Estados Unidos registrado nasceu na Flórida
  • Três semanas após a imunização da grávida nasceu uma menina, que foi descrita pelos médicos como saudável
  • Segundo o artigo, a vacinação de gestantes contra doenças como gripe e difteria também garantem a proteção de recém-nascidos

O primeiro bebê com anticorpos da Covid-19 nos Estados Unidos registrado nasceu na Flórida. A informação foi divulgada em um artigo científico escrito pelos médicos Paul Gilber e Chad Rudnick diz que a mãe trabalha na linha de frente em combate à doença e recebeu a primeira dose da vacina da Moderna em janeiro de 2021.

-Publicidade-

Três semanas após a imunização da grávida, nasceu uma menina, que foi descrita pelos médicos como saudável. Segundo a dupla, a vacinação de gestantes contra doenças como gripe e difteria também garantem a proteção de recém-nascidos. Isso se dá através da passagem dos anticorpos pela placenta.

O primeiro bebê com anticorpos da Covid-19 nasceu três semanas depois da mãe ser vacinada (Foto: Reprodução / Getty Images)

“Proteção similar aos recém-nascidos seria esperada após a vacinação da mãe contra a doença. Há uma urgente e significante necessidade de pesquisas sobre segurança e eficácia da vacinação contra a Covid-19 durante a gravidez”, disseram os médicos, que pediram a outros pesquisadores para realizarem estudos com registros de imunização indireta pela gravidez e amamentação.

Imunização indireta de bebês

As vacinas contra gripe e difteria já têm eficácia comprovada quando se trata da imunização indireta de bebês. No entanto, as informações ainda são escassas no caso da Covid-19. Inclusive, no estudo os autores declaram que ainda não sabem o grau de proteção ou mesmo a quantidade de anticorpos que um bebê precisa para desenvolver imunidade do novo coronavírus.

Felizmente, esse não é a primeira pesquisa que aponta a proteção de bebês através da vacinação materna. Um estudo israelense, publicado na terça-feira, 16 de março, também apontou a presença de anticorpos via placenta em mulheres que tomaram a vacina da Pfizer/BioNTech.