Bebê pode usar repelente? Saiba quando é recomendado, como aplicar e o que ele protege

Com a mudança de temperatura, pode ser que os mosquitos não deem trégua para o seu filho. Mas a boa notícia é que dá para prevenir esse incômodo com o uso de repelentes

Resumo da Notícia

  • Os mosquitos não costumam dar trégua nem para os bebês
  • Uma das maneiras de prevenir as picadas é a partir do uso de repelentes
  • Mas, vale ficar de olho na composição antes de aplicar na pele do seu filho

As vezes, os mosquitos não dão trégua e podem acabar virando um incômodo para o bebê. Apesar do problema ocorrer mais no clima quente, é superimportante proteger seu filho em todas as estações do ano. Uma das alternativas é o uso de repelentes, mas é necessário seguir algumas recomendações antes de passar o produto na pele.

-Publicidade-

De acordo com o nosso colunista e pediatra, Dr. Claudio Len, pai de Fernando, Beatriz e Silvia, são nos primeiros anos de vida que os bebês estão expostos às picadas de formigas, mosquitos e outros insetos. A pele do bebê é supersensível e merece um cuidado especial: “Ela é o maior órgão do corpo, responsável por várias funções, cuja principal é atuar como barreira, evitando a desidratação, a absorção de substâncias nocivas e a invasão de microrganismos”, reforça a Sociedade Brasileira de Pediatria.

Bebê pode usar repelente?

Sim, pode, mas entre os seis meses e dois anos, por exemplo, é necessário consultar o pediatra, pois devem ser usados apenas em condições especiais. Já a partir dessa idade, deixe de fora aqueles que possuem DEET em sua composição, pois pode ser bastante tóxico. É importante que não seja ultrapassado 10% do ingrediente na formulação dos 2 aos 12 anos, segundo o Ministério da Saúde.

O principal sintoma de alergia às picadas de mosquito é a coceira (Foto: Shutterstock)

Como aplicar repelente

Para fazer a aplicação do repelente tanto no bebê como na criança, é importante passar o produto nas áreas expostas do corpo e também por cima da roupa. Caso o produto seja em spray, antes de passar no rosto da criança, aplique uma quantidade nas mãos e depois espalhe na região. Vale lembrar que sempre depois de passar o produto, lave as mãos com água e sabão. Evite o contato com os olhos, mas caso aconteça por acidente, lave imediatamente com água corrente.

Quando devo reaplicar o repelente no bebê ou criança?

O repelente deve ser reaplicado de acordo com a indicação do fabricante, levando em consideração a quantidade de horas. Além disso, caso haja suor excessivo ou contato com a água, a aplicação pode ser feita novamente. Vale lembrar ainda que se houver exposição ao sol, passe primeiro o protetor solar e só depois de 20 minutos o repelente.

O que o repelente protege?

  • Culex (pernilongo comum)
  • Aedes aegypiti (causador da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela)
Os repelentes podem prevenir picadas de pernilongos comuns e mosquitos causadores de doenças (Foto: iStock)

Sinais de alergia após picadas de insetos

  • Dor
  • Coceira na região
  • Inchaço no local
  • Vermelhidão
  • Saída de líquido transparente

Grávidas podem usar repelente?

Sim, podem. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não existem impedimentos para usar os produtos em mulheres grávidas. Mas, é superimportante que os repelentes sejam devidamente registrados pela Agência reguladora e que todas as instruções sejam seguidas no rótulo de cada produto.