Bebês que nasceram no mesmo dia e mesmo hospital se reúnem para comemorar 30 anos

Caroline O’Leary, Helen Conlon e Kathleen Burke se conheceram no hospital e são mães de Caoimhe, Eoin e Patrick

Resumo da Notícia

  • Três mães tiveram os filhos com menos de 12 horas de diferença
  • Elas formaram uma forte amizade no hospital
  • Ela agora se reencontram todo ano para comemorar o aniversário dos filhos

Três mães tiveram os filhos todos com menos de 12 horas de intervalo no Hospital Maternity Coombe, e 30 anos depois, se reuniram para comorar o aniversário deles. Caroline O’Leary, Helen Conlon e Kathleen Burke se conheceram no Coombe Women & Infants University Hospital em agosto de 1991 e deram à luz três filhos; Caoimhe, Eoin e Patrick, com menos de 12 horas entre os partos.

-Publicidade-
Eles se reencontraram em uma praia para comemorar o 30° aniversário dos filhos (Foto: Reprodução / Independent)

Elas ficaram bem próximas e se tornaram amigas, e combinaram de que no ano seguinte, no primeiro aniversário dos pequenos, elas iriam se reencontrar. O primeiro encontro foi tão bom que elas decidiram se reunir todos os anos desde então. O lugar escolhido para comemorar o 30° aniversário dos filhos foi na praia de Portmarnock.

Caroline, mãe de Caoimhe, relatou ao Independent.ir que a tradição é tão especial que eles ficam ansioso o ano todo para o dia especial. “Eles são como primos, família, pessoas importantes em nossas vidas agora. Naquela época em Coombe, quando você tinha seu primeiro filho, você tinha que ficar cinco dias para conhecer pessoas. Kathleen e Helen são testemunhas de que eu tive meu primeiro filho. Eles podem dizer a Caoimhe coisas que eu não consigo lembrar”, conta

Ela disse que como Eoin estava internada em outra ala do hospital, elas não conseguiram a conhecer. Então teve a ideia de todas se reencontrarem quando eles fizerem um ano de idade. “Fizemos isso e voltamos a cada ano. Adoramos nos atualizar e descobrir o que aconteceu no ano anterior. Gostaríamos também de marcar a ocasião, pois houve tristeza ao longo do caminho; pessoas faleceram. O pai de Caoimhe morreu quando ela tinha 15 anos e minha mãe é a última avó viva ”, disse Caroline.

Caroline temia que, à medida que os filhos se tornassem adolescentes, eles parassem de ir nas reuniões, mas ela disse que aconteceu o oposto e eles abraçam esse vínculo incomum, mas significativo, com as outras famílias. “Quando estávamos dando à luz em 1991, vimos as famílias vindo para ver nossos filhos e agora são eles que têm filhos, então realmente se destaca como uma coisa adorável para continuar”, disse Caroline.