Bebês trocados em hospital de Goiás são entregues às mães biológicas após teste de DNA

Os meninos nasceram no dia 29 de dezembro do ano passado. A mãe de um deles não desejava devolver a criança

Resumo da Notícia

  • O teste de DNA confirmou a troca dos bebês em hospital de Aparecida de Goiânia
  • Mãe de um dos bebês trocados em hospital não deseja devolver a criança
  • O hospital responsável fez o boletim de ocorrência e as autoridades investigam o caso.

Na tarde desta terça-feira, 8 de fevereiro, dois bebês finalmente foram entregues às suas respectivas mães biológicas. Isso porque um exame de DNA confirmou a troca das crianças em um hospital de Aparecida de Goiânia, no estado de Goiás. Os meninos nasceram no dia 29 de dezembro de 2021.

-Publicidade-

A coleta do DNA foi solicitada pela própria unidade de saúde após as mães serem comunicadas sobre o possível erro. Em nota, o Hospital São Silvestre diz acreditar que houve uma troca de pulseiras dos filhos durante o teste do pezinho.

Mãe de um dos bebês trocados em hospital não deseja devolver a criança
Mãe de um dos bebês trocados em hospital não desejava devolver a criança (Foto: Reprodução/G1)

“A situação foi percebida quando da alta médica de uma das mães, sendo que de imediato as duas famílias foram comunicadas e foi solicitado pelo Hospital a realização de teste de DNA. As famílias se mostraram resistentes a todo momento a qualquer exame, o qual levaria quinze dias para ficar pronto (conforme determinação do laboratório responsável pelo exame)”, esclareceu o informativo.

Segundo o portal de notícias do g1,  o resultado foi entregue às famílias na presença dos advogados. Juciara Maria da Silva, de 28 anos, que é mãe de um dos bebês que foram trocados em um hospital de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, se emocionou ao falar sobre o momento que irá trocar o bebê que está cuidando desde que saiu da maternidade, há um mês. Bastante emocionada, ela contou que, por ela, não trocaria a criança.

“Vai ser um mês e quantos dias para devolver uma criança que eu cuidei, que amamentei, levei para casa, que meus filhos, minhas irmãs já se apaixonaram. Como que a gente fica nessa história? Dói”, lamentou Juciara.