Família

Bélgica é o primeiro país a fazer eutanásia em crianças de 9 e 11 anos

Elas tinham doenças terminais e decidiram pedir pelo procedimento

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Tirar a vida de uma criança pequena é ilegal em todo o mundo, mesmo se ela estiver em estado terminal. Mas existe uma exceção para essa na regra na Bélgica: desde 2014, o país permite que médicos interrompam a vida de crianças de qualquer idade.

Durante um ano depois da aprovação da lei, ninguém a usou, mas agora a eutanásia em crianças na Bélgica é uma realidade. Duas crianças, de 9 e 11 anos, receberam injeções letais no país, segundo um relatório do governo. A menor sofria de tumor cerebral incurável e a outra tinha fibrose cística, uma doença genética que afeta os pulmões, causando infecções e problemas respiratórios. Os procedimentos aconteceram entre 2016 e 2017, mas só foram revelados agora.

A recente divulgação desses casos causaram polêmica no mundo todo. De um lado, os defensores dizem que uma criança não deve sofrer contra sua vontade, enquanto do outro as pessoas falam que eles são muito pequenos para tomar a decisão de morrer.

Para que a eutanásia seja autorizada, as crianças são avaliadas por uma junta de psiquiatras, que consideram o estado mental da criança e garantem que sua decisão não teve influência dos pais. Mesmo com essa etapas cumpridas, os pais do paciente ainda têm o poder de vetar a eutanásia.

No ano passado, por exemplo, 360 médicos belgas divulgaram um abaixo-assinado pedindo mais controle na realização da eutanásia.  Entre 2016 e 2017, mais de 4000 belgas morreram por meio do procedimento – a média cresceu 500% nos últimos dez anos.

Leia também: