Beth Goulart comenta sobre morte de Nicette: “Tenho a intuição de que ela pôde escolher se partia ou se ficava”

A filha da atriz desabafou sobre a morte da mãe na semana de aniversário da famosa

Resumo da Notícia

  • Beth Goulart, filha de Nicette Bruno, perdeu a mãe há 3 semanas por complicações da Covid-19
  • Na semana em que a atriz completaria 88 anos, Beth comentou sobre como tem lidado com a perda da parente
  • Ela ainda disse que acredita que a mãe tenha escolhido 'não voltar'

Beth Goulart, filha de Nicette Bruno, perdeu a mãe há 3 semanas por complicações da Covid-19. Na semana em que a atriz completaria 88 anos, Beth comentou com o portal Extra sobre como tem lidado com a perda da parente. “Tá difícil falar. Tá muito recente. A gente ainda não pensou em nenhuma homenagem específica. Certamente, vamos orar muito pra ela e ter flores em casa. Mamãe gosta muito de flores. Isso me trará sempre a sua presença”, começou ela.

-Publicidade-

Ela ainda comentou sobre o positivismo e como ela sempre via o copo ‘meio cheio’. “Sempre. Todos nós. Porque agradecemos a metade do copo cheio e sabemos que temos que conquistar a outra metade. Quando você tem essa postura positiva diante da vida, isso o fortalece em todos os sentidos. E aí você caminha para frente”, reforçou Beth.

(Foto: Reprodução)

A filha ainda comparou a perda do pai há 6 anos por câncer a a da mãe ano passado. “Sinto uma diferença. Agora a gente tem que introjetar a mamãe e o papai dentro de nós. Para que possamos sentir essa proteção. Quando viramos órfãos, perdemos as referências. Você tem que aprender a se conectar com a vida por si mesmo. Nós tivemos um privilégio imenso de sermos filhos de pais tão amorosos, sábios, gentis e bons. Recebemos uma bagagem emocional e ética que nos dá um respaldo interno para seguirmos. É fácil? Não é. Tem saudade? Tem. Às vezes, falo: Ô, mãe, cadê você pra eu te abraçar? Cadê seu colo pra eu deitar? Agora, quando eu deito no meu travesseiro, tenho uma nova forma de me comunicar com ela. Continuo falando com minha mãe, não de forma física”, explicou a filha.

-Publicidade-

Beth ainda revelou a dificuldade de não poder ver Nicette em seus últimos dias. “Com certeza. Com papai, nós vivemos a despedida lindamente. Ele partiu com todos nós ao lado dele orando. Foi um momento de grande união para nós. Agora, com a mamãe, foi muito triste. Nós até conseguimos entrar no CTI, todos paramentados. O médico nos deu essa oportunidade com ela ainda em vida (mas inconsciente). Depois, quando mamãe tinha acabado de falecer, entramos uma segunda vez para fazer a nossa oração”, concluiu.

Beth acredita que Nicette escolheu não voltar (Foto: reprodução / Instagram @nicettebruno)

Ela ainda comentou sobre a mudança de comportamento durante as rezas e a escolha de Nicette sobre a vida e a morte. “Olha, durante essas orações pra mamãe, no início, eu falava: “Que Deus permita que a senhora tenha saúde, que possa retornar pra nós”. Mas, em algum momento, eu comecei a sentir que era uma escolha dela. Então, comecei a dizer: “Estamos abertos pro que a senhora quiser. Se preferir voltar, estamos aqui de braços abertos para ajudá-la em tudo, mas, se optar por seguir o caminho espiritual, vamos entender e aceitar”, falou.

Beth ainda explicou o receio da mãe escolher não voltar. “Sim, porque às vezes a pessoa pensa: eu tenho que voltar porque eles ainda precisam de mim… Ninguém está preparado para se despedir da mãe, né? A dor é que nem a de um parto. Um parto ao contrário. Não tem parto sem dor. A dor existe. Faz parte. A gente vai viver isso durante pelo menos o primeiro ano de luto. Mas vamos nos alimentar sempre com lembranças positivas”, concluiu a filha.